26.2.17

Festival - Música Electrónica
LISBOA DANCE FESTIVAL
Music. Talks. Market  
Sexta, 10 e sábado, 11 de Março, das 19h00 às 04h00, na LXFactory
(Live Experiences) 


Segunda edição do novo formato de evento com uma programação virada para as tendências mundiais da música electrónica. O Lisboa Dance Festival apresenta concertos, DJ sets e showcases de electrónica. Mais do que um evento de um só género musical, abre portas para uma visão 360 sobre toda a música electrónica.
O Lisboa Dance Festival abre ainda espaço a uma programação de debates, conferências e masterclasses e a um espaço para o mercado onde estarão presentes marcas que oferecem as ferramentas com que se faz a música que faz dançar.
Bilhetes à venda nas lojas Fnac por 45 euros (passe 2 dias) e 30 euros (diário). 

SELECÇÃO 
Sexta, 10 
23h55 às 01h55 - Dekmantel Soundsystem 
Dupla holandesa disco/house/techno de Thomas Martojo e Casper Tielrooij, fundadora da editora e produtora de festivais Dekmantel. 
Sábado, 11 
22h30 às 23h45 - Hercules & Love Affair 
Colectivo electro/disco/house do norte-americano Andy Butler, autor dos álbuns ‘Hercules and Love Affair’ (2008 DFA Records) e ‘The Feast of The Broken Heart’ (2010 Moshi Moshi). 
23h55 às 01h55 - Hunee 
Produtor e DJ sul-coreano house/disco/afro/techno autor do álbum ‘Hunch Music’ (2015 Rush Hour).
MUSIC. TALKS. MARKET
Lisboa Dance Festival

22.2.17

Filme - Estreia a 09 de Março no UCI Cinemas El Corte Inglés
‘THE AUTOPSY OF JANE DOE - A AUTÓPSIA DE JANE DOE’ 
de André Ovredal 
com Emile Hirsch e Brian Cox
(2016 42 Productions) 


Um estranho cadáver sem identificação chega à morgue e a Tommy e Austin, dois médicos legistas que são também pai e filho. Brutalmente assassinada, a jovem Jane Doe está bem preservada. À medida que tentam descobrir a causa de morte, os dois homens vão descobrindo perturbadores segredos da sua vida até considerarem que pode não estar morta.
Um filme de terror do realizador norueguês André Ovredal, de 44 anos, autor de ‘Trolljegeren - O Caçador de Trolls’ (2010).
“Gruesome without being gory, ‘The Autopsy of Jane Doe’ achieves real scares with a minimum of special effects.” 
The New York Times
‘THE AUTOPSY OF JANE DOE’
André Ovredal 

20.2.17

Filme - Estreia a 02 de Março no Medeia Monumental
‘PERSONAL SHOPPER’ 
de Olivier Assayas 
com Kristen Stewart e Lars Eidinger
(2016 CG Cinéma) 


A jovem norte-americana Maureen vive em Paris e trabalha como personal shopper para uma celebridade. Maureen tem também a capacidade psíquica de comunicar com espíritos, como o do seu irmão gémeo, Lewis, falecido recentemente. De súbito, começa a receber mensagens de fonte desconhecida.
Um drama de acção do realizador francês Olivier Assayas, de 62 anos, autor de ‘Clean’ (2004), 'Carlos' (2010) e ‘Sils Maria - As Nuvens de Sils Maria’ (2014).
“It is actually Olivier Assayas's best film for a long time, and Kristen Stewart's best performance to date.” 
The Guardian 
“Olivier Assayas explore sa sympathique veine d’exploitation plutôt que sa veine dramatique n’est pas le souci, mais d’un côté comme de l’autre, le décorum étouffe autant l’esprit.” 
Cahiers du Cinéma
‘PERSONAL SHOPPER’
Olivier Assayas 



18.2.17

Festival de Cinema - Prémios
BERLINALE    
67º Internationale Filmfestspiele Berlin
‘A Testrol és Lélekrol’, de Ildikó Enyedi, vence Goldener Bar 2017


O júri internacional da Berlinale - Internationale Filmfestspiele Berlin, presidido pelo realizador holandês Paul Verhoeven, acaba de atribuir o Goldener Bar, prémio para melhor filme em competição, à longa-metragem ‘A Testrol és Lélekrol’, da realizadora húngara Ildikó Enyedi. O filme conta a história de dois discretos colegas de trabalho, Mária e Endre, que ficam surpreendidos por terem os mesmos sonhos à noite e começam a descobrir emoções e desejo físico.
A Berlinale, festival internacional de cinema de Berlim, um dos mais importantes e politizados eventos do cinema a nível mundial e o maior na afluência de público, decorreu na sua 67ª edição no Berlinale Palast, na Alemanha. Para a competição do Goldener Bar foram seleccionadas 21 longas-metragens de 16 países.

PALMARÉS  
Goldener Bar (Melhor Filme)  
‘A Testrol és Lélekrol’ (2017 Hungria), de Ildikó Enyedi, com Géza Morcsányi e Alexandra Borbély.
Silberner Bar (Grande Prémio do Júri)  
‘Félicité’ (2017 Senegal), de Alain Gomis, com Véro Tshanda e Beya Mputu.
‘TESTROL ÉS LÉLEKROL’
Ildikó Enyedi 
Berlinale - Goldener Bar 2017 

16.2.17

Livro - Romance
‘A ASSOCIAÇÃO DAS PEQUENAS BOMBAS’ 
Karan Mahajan 
(2017 Relógio d’Água) 


Em Maio de 1996, uma bomba explode em Deli e mata os irmãos Khurana. Um amigo deles, Mansoor, sofre efeitos físicos e psicológicos. Depois de um período conturbado numa universidade nos Estados Unidos, Mansoor regressa a Deli, onde se envolve com o activista Ayub. O casal Khurana vê-se num labirinto de batalhas legais. O jovem fabricante de bombas Shockie, na luta pela independência de Caxemira, é associado à explosão.
Um romance do escritor indiano radicado nos Estados Unidos, Karan Mahajan, de 32 anos, inédito em Portugal.
National Book Award - Fiction Finalist 2016 
The New York Times - The 10 Best Books of 2016
“There’s plenty to admire in this novel about the aftermath of a bombing in Delhi.” 
The Guardian
“Wonderful. Smart, devastating, unpredictable, and enviably adept in its handling of tragedy and its fallout.”  
The New York Times
‘THE ASSOCIATION OF SMALL BOMBS’
Karan Mahajan 

14.2.17

Fotojornalismo - Concurso
WORLD PRESS PHOTO 17 
Photo Contest
‘An Assassination in Turkey’, de Burhan Ozbilici, eleita World Press Photo of the Year
(2017 World Press Photo Foundation) 


A fotografia vencedora da 60ª edição do concurso World Press Photo, escolhida entre 80 408 imagens de 5 034 fotógrafos de 125 países, foi captada pelo fotógrafo turco Burhan Ozbilici. A imagem intitulada ‘An Assassination in Turkey’ mostra um segurança fora de serviço a assassinar o embaixador russo na Turquia, numa exposição de arte em Ancara.
Fundada em 1955 em Amesterdão (Holanda), a World Press Photo promove o mais prestigiado concurso internacional de fotojornalismo. O júri internacional escolheu as melhores fotografias em oito categorias premiando 45 fotógrafos de 25 nacionalidades. As fotos premiadas vão agora ser expostas em 45 países e publicadas no livro e aplicação para iPad ‘World Press Photo 17’.
Exposição ‘World Press Photo 17’, de 28 de Abril a 22 de Maio, no Museu Nacional de Etnologia. 
“It was a very very difficult decision, but in the end we felt that the picture of the Year was an explosive image that really spoke to the hatred of our times. We really felt that it epitomizes the definition of what the World Press Photo of the Year is and means.” 
Mary F. Calvert, member of the jury
PHOTO CONTEST WINNERS 17
World Press Photo 

8.2.17

DJ Set
ROMARE 
Red Bull Music Academy apresenta 
Sexta, 17 de Fevereiro, à 01h00, no Musicbox Lisboa


Músico, DJ e produtor house/disco e jazz/funk inglês, Archie Fairhurst estudou African American Visual Culture na qual se inspira. Sob o nome Romare começou por editar singles e EPs até lançar o álbum ‘Projections’ (2015 Ninja Tune), uma fusão de electronic/folk e world/country.
Mais recentemente, Romare lançou o álbum ‘Love Songs: Part Two’ (2016 Ninja Tune), onde expande e aprofunsa as suas técnicas, recorrendo a sintetizadores monofónicos, bandolim, baixo eléctrico, guitarras e teclados. Afasta-se do jazz/blues para se aproximar do disco/psychedelic. Intensidade e estética, grooves sensuais e colagens em DJ set no club do Cais do Sodré.
Bilhetes à venda na Fnac por 10 euros.
"O tempo marca-se com percussão que tanto é meditativa como, de repente, frenética. House, sonoridades jazz e às vezes disco."
Musicbox Lisboa
BOILER ROOM LONDON
Romare 

6.2.17

Filme - Estreia a 16 de Fevereiro no UCI Cinemas El Corte Inglés
’20TH CENTURY WOMEN - MULHERES DO SÉCULO XX’ 
de Mike Mills 
com Annette Bening e Elle Fanning
(2016 Annapurna Pictures) 


Califórnia, 1979. Dorothea, uma mãe solteira na casa dos 50 cuida do seu filho adolescente, durante uma época de mudanças culturais e de revolução. Na educação de Jamie, Dorothea conta com a ajuda de duas mulheres mais novas, Abbie, uma artista punk que arrenda um quarto, e Julie, uma inteligente e provocadora adolescente.
Uma comédia dramática do realizador norte-americano Mike Mills, de 50 anos, autor de ‘Beginners - Assim é o Amor’ (2010).
“For all of Mike Mills's cinematic tricks, he's emerging as a great realist film-maker.” 
The Guardian
“´20th Century Women is a memory movie, one in which people are conjured up to bump against the larger world, exuberantly and uneasily.” 
The New York Times
’20TH CENTURY WOMEN’
Mike Mills

4.2.17

Filme - Estreia a 16 de Fevereiro no Medeia Monumental
‘TONY ERDMANN’ 
de Maren Ade 
com Sandra Hüller e Peter Simonischek
(2016 Komplizen Film) 


Ines trabalha numa empresa alemã em Bucareste e leva uma vida organizada. Quando o pai Winfried lhe aparece inesperadamente, Ines não consegue esconder a sua contrariedade, o que desencadeia uma perturbação profunda. O irritante pai faz tudo para a ajudar a encontrar um sentido para a vida, recorrendo à invenção do engraçado personagem Toni Erdmann.
Uma comédia dramática da realizadora alemã Maren Ade, de 41 anos, autora de ‘Der Wald vor lauter Baumen’ (2003) e ‘Alle Anderen - Todos os Outros’ (2009).
Festival de Cannes - Prix FIPRESCI de la Critique Internationale 2016 
Film Comment - Best Film of 2016 
Sight & Sound - Best Film of 2016 
Cahiers du Cinéma - Meilleur Film 2016 
“´Toni Erdman´, proceeding in a perfectly straightforward manner, from one awkward, heartfelt, hilarious scene to the next, wraps itself around some of the thorniest complexities of contemporary reality.” 
The New York Times
“The film is very funny - but asks its audience to wonder if being funny, really is the sign of being relaxed and life-affirming in the way people who are talented at comedy often assume.” 
The Guardian
“Pas faire croire à un film consensuel, c’était tout simplement le choc de voir un chef-d’œuvre.” 
Cahiers du Cinéma
‘TONI ERDMANN’
Maren Ade

30.1.17

Festival - Prémios de Cinema
SUNDANCE FILM FESTIVAL 2017
Grand Jury Prizes    
(Sundance Institute)   


O júri oficial do Sundance Film Festival anuncia os filmes em competição distinguidos pelos Grand Jury Prizes. Na edição deste ano foram apresentadas seis dezenas longas-metragens a concurso nas secções U.S. Competition e World Cinema Competition. O Sundance Film Festival foi criado em 1978 e incorporado na programação do Sundance Institute, fundado pelo realizador e actor norte-americano Robert Redford.
O maior festival norte-americano de filmes independentes realiza-se em Park City, no Utah, e compreende secções competitivas para filmes dramáticos e documentários, para além de mostras temáticas, concertos, performances, painéis de discussão e festas.

GRAND JURY PRIZE - U.S. DRAMATIC    
‘I Don´t Feel at Home in This World Anymore’ de Macon Blair 
GRAND JURY PRIZE - U.S. DOCUMENTARY    
‘Dina’ de Dan Sickles e Antonio Santini 
GRAND JURY PRIZE - WORLD CINEMA DRAMATIC    
‘The Nile Hilton Incident’ (Suécia) de Tarik Saleh 
GRAND JURY PRIZE - WORLD CINEMA DOCUMENTARY    
‘Last Men in Aleppo’ (Dinamarca) de Steen Johannessen e Firas Fayyad
‘I DON'T FEEL AT HOME IN THIS WORLD ANYMORE’
Macon Blair 
Sundance Film Festival - Grand Jury Prize U.S. Dramatic 

28.1.17

Banda Desenhada - Prémios
ANGOULÊME 2017  
Festival International de la Bande Dessinée 
Fauve d'Or - Prix du Meilleur Album para ‘Paisage après la Bataille’


O álbum de banda desenhada ‘Paisage après la Bataille’ (2016 Actes Sud BD / Frémok), dos belgas Philippe de Pierpont (argumento e cenário) e Eric Lambé (desenho), acaba de ser distinguido no Festival d'Angoulême com o prémio Fauve d'Or, para melhor álbum editado em França em 2016, entre as 42 obras a concurso. A novela gráfica conta a história de Fany, uma jovem que se aloja num acampamento de caravanas durante um Inverno rigoroso e da relação que cria com residentes com vidas precárias. Uma obra de ritmo lento, de poucas palavras e cores, e de um grafismo abstracto e minimalista.
Criado em 1974, o Festival d'Angoulême é o mais importante festival de banda desenhada europeu e realiza-se anualmente na vila francesa de Angoulême, na região de Poitou-Charentes. O festival reúne mais de 260 expositores, 7 000 profissionais, 1 600 autores e 800 jornalistas e programa exposições temáticas, ateliers, espectáculos, projecções, encontros com autores, apresentação de álbuns, debates e conferências, para além da feira de banda desenhada.

Festival d'Angoulême - Palmarès Officiel 
FAUVE D'OR - PRIX DU MEILLEUR ALBUM 2016 
‘Paisage après la Bataille’ Philippe de Pierpont / Eric Lambé (2016 Actes Sud BD / Frémok) 
FAUVE D’ANGOULEME - PRIX SPECIAL DU JURY 
‘Ce qu’il Faut de Terre à L’Homme’ Martin Veyron (2016 Dargaud)
PALMARÈS OFFICIEL
Festival d'Angoulême















PARTAGEONS LA BANDE DESSINÉE
Festival d'Angoulême




24.1.17

Música - Prémios
WORLDWIDE AWARDS 2017
Gilles Peterson 
Albums of the Year
(Worldwide FM) 


O radialista e promotor jazz/fusion/dance Gilles Peterson, autor do programa ‘Gilles Peterson’, na BBC 6, e fundador da rádio online Worldwide FM, selecciona a lista dos melhores álbuns do ano, depois dada a votar aos ouvintes. Os vencedores passam a constituir um verdadeiro guia de descobertas para quem acompanha as novas tendências. Os Worldwide Awards 2017 acabam de ser entregues no club Koko, em Londres.
Gilles Peterson é especialista em mix ecléticos de soul, hip-hop, house, afro, latin, electronica e jazz e construiu reputação mundial como divulgador musical e DJ, a par da fundação das editoras Acid Jazz, Talkin’Loud e Brownswood, da regular edição de compilações e da promoção do Worldwide Festival, em Sète (França) e Leysin (Suíça).

GILLES PETERSON’S WORLWIDE ALBUMS OF THE YEAR 2017 
01. ‘Love & Hate’ Michael Kiwanuka (2016 Polydor) 
02. ‘Man Made Object’ GoGo Penguin (2016 Blue Note) 
03. ‘Black Focus’ Yussef Kamaal (2016 Brownwood) 
04. ‘Fool’ Jameszoo (2016 Brainfeeder) 
05. ‘Day To Day’ Sarathy Korwar (2016 Ninja Tune) 

‘BLACK MAN IN A WHITE WORLD’
Michael Kiwanuka 



‘ONE MORE NIGHT’
Michael Kiwanuka 

22.1.17

DJ Set
OMAR S 
Keep techno 
Sexta, 03 de Fevereiro no Lux


O norte-americano Alexander Smith é o DJ e produtor Omar S, fundador da editora FXHE Records e um dos notáveis do Detroit techno. Criador de um som único, com uma estética analógica, criou um culto à sua volta pela sua autenticidade. Entre os seus álbuns, destaque para os essenciais ‘Fabric 45’ (2009 Fabric), ‘It Can Be Done But Only I Can Do It’ (2011 FXHE), 'Thank You For Letting Me Be Myself’ (2013 FXHE) e 'The Best!' (2016 FXHE Records).
O som techno/house de Omar S caracteriza-se por ritmos crus, grooves filtrados e influências dos pioneiros do techno de Detroit e do house de Chicago. Omar S põe a música em primeiro lugar, se gosta, vai tocar. O regresso da fusão de influências à cabine do Lux.
Resident Advisor - Top Albums 2016 
“Quase imune a modas e a tendências, eis Omar S. Agora dancem.”
Lux
BOILER ROOM
Omar S

20.1.17

Filme - Estreia a 02 de Fevereiro no Medeia Monumental
‘MOONLIGHT’ 
de Barry Jenkins 
com Mahershala Ali e Shariff Earp
(2016 Plan B Entertainment) 


Nos Estados Unidos, na década de 1980, o jovem afro-americano Chiron tenta escapar do caminho fácil da criminalidade e do mundo das drogas num bairro pobre de Miami. À medida que se torna adulto, descobre a sua própria masculinidade.
Um drama do realizador norte-americano Barry Jenkins, de 38 anos, autor de ‘Medicine for Melancholy’ (2008).
Film Comment - Best Films of 2016 
Sight & Sound - Best Fims of 2016 
“´Moonlight´ is both a disarmingly, at times almost unbearably personal film and an urgent social document, a hard look at American reality and a poem written in light, music and vivid human faces.” 
The New York Times
“It's a thrilling, deeply necessary work that opens up a much-needed and rarely approached on-screen conversation about the nature of gay masculinity.” 
The Guardian
‘MOONLIGHT’
Barry Jenkins 

8.1.17

Cinema - Exibição
KINO 2017
Mostra de Cinema de Expressão Alemã
De 19 a 24 de Janeiro no Cinema São Jorge
(Goethe-Institut Portugal)


A mostra Kino pretende dar a conhecer ao público português a grande diversidade da cinematografia de expressão alemã. Nesta 14ª edição a Kino Lisboa apresenta duas dezenas de longas-metragens estreadas em 2015 e 2016 que reflectem as actuais tendências da produção cinematográfica na Alemanha, Áustria, Suíça e Luxemburgo.
A aposta da Kino vai para a apresentação de filmes que habitualmente não entram no circuito comercial português e a selecção de produções que fizeram carreira na Berlinale e DOK Leipzig, os dois festivais de cinema mais importantes da Alemanha.
Filmes legendados em português. Bilhetes à venda no Cinema São Jorge por 4 euros. 

SELECÇÃO
Quinta, 19 às 21h00
‘Grüße aus Fukushima - Fukushima, Meu Amor’ (2016 Alemanha 109’), de Doris Dörrie, com Rosalie Thomass e Kaori Momoi. 
A jovem alemã Marie associa-se à Clowns4Help e viaja até ao Japão para ajudar as vitimas de Fukushima, onde conhece uma geisha. 
Sexta, 20 às 19h00 
‘Homo Sapiens’ (2016 Áustria 94’), de Nikolaus Geyrhalter. 
Edifícios abandonados, vestígios da civilização humana, lugares e superfícies que a natureza reconquista. Muito espaço para contemplação. 
Domingo, 22 às 21h00 
‘Aloys’ (2016 Suíça 91’), de Tobias Nölle, com Georg Friedrich e Tilde von Overbeck. 
Após a morte do pai, Aloys toma conta da agência de detectives, que detinham em conjunto. Com o telefonema de uma rapariga passa de observador a observado.
MOSTRA DE CINEMA DE EXPRESSÃO ALEMÃ
Kino 2017