28.6.17

Cinema - Sessões
CINEMA NA ESPLANADA 
Fantasmas ao Nosso Encontro 
Em Julho na Cinemateca Portuguesa


A temporada ‘Cinema na Esplanada’ volta em Julho e Setembro à Cinemateca Portuguesa, às sextas e sábados, às 22h30, com projecções ao ar livre em 35 mm no terraço do piso superior do edifício.
Em Julho, as sessões do ‘Cinema na Esplanada’ cruzam-se com o programa inspirado pelos ‘Fantasmas ao Nosso Encontro’, propondo grandes clássicos, filmes que pela primeira vez são mostrados na esplanada do Restaurante-Bar 39 Degraus. Serviço de cafetaria/bar com bebidas, tostas, salgados, mousses, gelados e sorvetes artesanais e bolos vegan.

SELECÇÃO 
Sábado, 08 de Julho às 22h30 
‘Ugetsu Monogatari - Contos da Lua Vaga’ (1953), de Kenji Mizoguchi, com Masayuki Mori e Machiko Kyô. 
Japão no século XVI em guerra civil. Dois aldeãos partem para a cidade. O oleiro Kenjuro apaixona-se pela princesa Wakasa e vai para a sua mansão. O agricultor Tobei abandona a sua mulher e procura tornar-se num samurai. 
Sight & Sound - The 50 Greatest Films of All Time 
Cahiers du Cinéma - 100 Films pour une Cinémathèque Idéale 
Sexta, 28 de Julho às 22h30 
‘Vertigo - A Mulher Que Viveu Duas Vezes’ (1958), de Alfred Hitchcock, com James Stewart e Kim Novak.
Scottie, um polícia de São Francisco, sofre de vertigens desde que um polícia morreu numa queda para o salvar. Gavin, amigo de Scottie, pede-lhe que siga a sua mulher Madeleine, que se crê ameaçada por uma morta. 
Sight & Sound - The 50 Greatest Films of All Time  
Cahiers du Cinéma - 100 Films pour une Cinémathèque Idéale
‘UGETSU MONOGATARI’
Kenji Mizoguchi 


‘VERTIGO’
 Alfred Hitchcock

24.6.17

Livro - Romance
‘O SIMPATIZANTE’
Viet Thanh Nguyen
(2017 Elsinore)


Abril de 1975. Saigão está mergulhada no caos. Na sua villa, um general do exército do Vietname do Sul elabora, com a ajuda do seu capitão, uma lista com os nomes daqueles que têm permissão para apanhar os últimos voos de saída do país. Começando uma nova vida em Los Angeles, o general e os seus compatriotas desconhecem que, entre eles, existe um espião, o capitão que reporta as suas actividades às instâncias superiores de comando no Vietname.
Romance de estreia, de 448 páginas, do escritor e professor universitário norte-americano de origem vietnamita Viet Thanh Nguyen, de 46 anos.
Pulitzer Prize - Fiction 2016 
PEN/Faulkner Award - Finalist Fiction 2016 
“A remarkable debut novel. Brings a distinctive perspective to the war and its aftermath. Viet Thanh Nguyen book fills a void in the literature, giving voice to the previously voiceless.” 
The New York Times
“Tremendously funny, with a demanding verbal texture, Both tender and a bit of a romp, the book reminded me of how big books can be.” 
The Guardian
VIET THANH NGUYEN DISCUSSES ‘THE SYMPATHIZER’
Book View Now 

20.6.17

Filme - Estreia a 29 de Junho no Medeia Monumental
‘MA'ROSA - MÃE ROSA’
de Brillante Mendoza 
com Jaclyn Jose e Julio Diaz
(2017 Centerstage Productions) 


Mãe Rosa tem quatro filhos. É proprietária de uma pequena loja de conveniência, num bairro pobre de Manila, onde toda a gente a conhece e estima. Para se sustentarem, ela e o marido, Nestor, revendem droga. Um dia, são detidos. Perante polícias corruptos, os filhos de Rosa farão tudo para comprar a liberdade dos pais.
Um drama do realizador filipino Brillante Mendoza, de 57 anos, autor de ‘Serbis’ (2008), ‘Lola’ (2009), ‘Kinatay’ (2009) e ‘Thy Womb’ (2012).
“’Ma'Rosa’ is made with control and clarity, a narrative purpose which is held on to despite an apparently aimless docu-style, and a clear sense of jeopardy. It doesn’t reveal much of what is going on in Rosa’s mind and heart.” 
The Guardian
“’Ma'Rosa’ n’est sans doute pas le film où Brillante Mendoza se montre le plus inspiré sur le plan esthétique. Du moins reste-t-il fidèle à une méthode qui a fait ses preuves: fait divers à la source du récit, mélange d’amateurs et de professionnels, tournage à plusieurs caméras dans les lieux reels.” 
Le Monde
‘MA'ROSA’
Brillante Mendoza 

16.6.17

Filme - Estreia a 29 de Junho no Medeia Monumental
‘PATERSON’ 
de Jim Jarmusch 
com Adam Driver e Golshifteh Farahani
(2016 K5 International) 


Paterson é motorista de autocarro na cidade de Paterson, New Jersey, cidade com que partilha o mesmo nome. Todos os dias Paterson segue a rotina de percorrer uma rota, observando a cidade. Escreve poemas num caderno, passeia Marvin, um buldogue inglês, e vai para casa ter com a sua mulher, Laura. Por outro lado, o mundo de Laura está sempre em mudança, com novos sonhos a cada dia.
Uma comédia dramática do realizador norte-americano Jim Jarmusch, de 64 anos, autor de ‘Broken Flowers - Flores Partidas’ (2005) e ‘Only Lovers Left Alive - Só os Amantes Sobrevivem’ (2013).
Sight & Sound - Best Films of 2016 
“What a lovely film ‘Paterson’ is.” 
The Guardian
“With visual precision and emotional restraint Jim Jarmusch creates that rarest portrait of the artist.” 
The New York Times
“La vraie gageure d’écriture de 'Paterson', c’est de faire advenir, dans sa propre forme, les conditions d’émergence de la poésie. Plutôt que de raconter, de montrer ou d’évoquer, le film crée sa propre assise de tranquillité et d’attention.” 
Cahiers du Cinéma
‘PATERSON’
Jim Jarmusch 



8.6.17

Filme - Estreia a 22 de Junho no Medeia Monumental
‘HYMYILEVA MIES - O DIA MAIS FELIZ NA VIDA DE OLLI MAKI’
de Juho Kuosmanen
com Oona Airola e Jarkko Lahti
(2016 Aamu Filmcompany)


Olli Maki, um boxeur finlandês, luta para sobreviver no complicado ano de 1962. Leva uma vida tranquila que é perturbada quando tem que lutar na final do Campeonato Mundial de Boxe. Rapidamente elevado a símbolo nacional, Olli Maki precisa controlar as expectativas da nação para tentar vencer a luta.
Um drama biográfico, estreia nas longas-metragens, do realizador finlandês Juho Kuosmanen, de 38 anos.
Festival de Cannes - Un Certain Régarde 2016 
European Film Awards - European Discovery/Prix FIPRESCI 2016
“It is a film of immense humanity and charm: the very best kind of date movie.” 
The Guardian
‘’Hymyileva Mies’ deepens quietly, and if he had any rookie jitters you wouldn’t know it.”
The New York Times
“Juho Kuosmanen fait valoir une espèce de force apaisante qui garantit à ses personnages une puissance inaliénable et magique.”
Cahiers du Cinéma
“Le superbe noir et blanc en pellicule 16 mm de Juho Kuosmanen s’empare avec une sensibilité et une douceur inouïes de cet héroïsme discret.”
Le Monde
‘HYMYILEVA MIES’
Juho Kuosmanen

6.6.17

DJ Set
ÂME 
Kristian Beyer 
Sexta, 16 de Junho no Lux


A dupla de produtores deep house alemã Frank Wiedemann e Kristian Beyer estreou-se em 2003 como Âme e co-fundou a editora Innervisions em 2005. Já editaram os álbuns ‘Âme’ (2004 Sonar Kollecktiv) e ‘Live’ (2012 Innervisions), para além de vários mix álbums.
Kristian Beyer, a metade dos Âme que se dedica ao DJing, é um divulgador e influenciador do house com instrumentação e composição orquestral, embora desconstruído em sintetizadores vintage e vocalizações espectrais. No seu regresso ao club de Santa Apolónia, depois da actuação no Lisboa Dance Festival 2016, Âme (Kristian Beyer) promete grandes viagens melódicas e hipnóticas a partir de temas clássicos deep house e minimal techno.
Resident Advisor - Top DJs of 2016
Bilhetes à venda na bilheteira do Lux a partir das 23h00
“A maneira como Âme (Kristian Beyer) funde diferentes quadrantes da electrónica, sem olhar a divisões, atento ao detalhe e de técnica impecável e criativa, é admirável.” 
Lux
BOILER ROOM 2016
Âme (Kristian Beyer) 

4.6.17

Filme - Estreia a 15 de Junho no Medeia Monumental
‘MICROBE ET GASOIL - MICRÓBIO E GASOLINA’ 
de Michel Gondry 
com Ange Dargent e Théophile Baquet
(2015 Partizan) 


‘Microbe’ é um rapaz tímido perdido nos seus desenhos. ‘Gasoil’ é um rapaz inteligente e inventivo, que chegou à escola a meio do ano. Os dois tornam-se grandes amigos e não querem passar as férias de Verão com as respectivas famílias. Com o motor de um cortador de relva e tábuas de madeira, constroem o seu próprio carro e partem à aventura nas estradas de França.
Uma comédia dramática de aventura do realizador francês Michel Gondry, de 54 anos, autor de ‘Eternal Sunshine of the Spotless Mind - O Despertar da Mente’ (2004).
“Time and again, 'Microbe et Gasoil' risks cuteness without going overboard. Too easily taken for granted, its accomplishment is its ability to gaze steadily with warmth but minimal sentimentality.” 
The New York Times
“En équilibre entre un réalisme délicat et une fantaisie qui ne l'est pas moins, entre une tendresse trash et une étrangeté, le film, mué en road movie buissonnier, trouve alors sa musicalité propre.” 
Le Monde
‘MICROBE ET GASOIL’
Michel Gondry 



2.6.17

DJ Set
JON HOPKINS
Human electronic 
Quarta, 14 de Junho, no Lux


O músico e produtor electronic/ambient inglês Jon Hopkins tem-se dedicado a colaborações, bandas sonoras e remixes desde 2001. A solo destaca-se o álbum ‘Insides’ (2009 Domino) onde revela as suas elegantes capacidades na composição, piano e beats electrónicos, o muito celebrado ‘Immunity’ (2013 Domino), um álbum multifacetado, poderoso e focado nas pistas de dança, e o mix álbum 'Late Night Tales: Jon Hopkins' (2015 Late Night Tales).
Jon Hopkins apresenta-se agora numa actuação em Lisboa, numa viagem do techno/ambient e indie/pop profundo e negro à euforia luminosa e sensual. A estreia no club de Santa Apolónia, depois da actuação no Musicbox Lisboa em 2014.
Bilhetes à venda na bilheteira do Lux a partir das 23h00. 
"Jon Hopkins has created electronic music which is rich with gorgeous detail and worth fully exploring." 
XLR8R
BOILER ROOM LONDON 2013
Jon Hopkins

30.5.17

Filme - Estreia a 08 de Junho no Medeia Monumental
‘SLAVA - GLÓRIA’ 
de Kristina Grozeva e Petar Valchanov 
com Stefan Denolyubov e Margita Gosheva
(2016 Abraxas Film) 


O ferroviário Tsanko Petrov encontra milhares de leves, a moeda búlgara, que decide entregar à polícia. Como recompensa, o Estado oferece-lhe um relógio de pulso, que depressa deixa de funcionar. No entretanto, Julia Staikova, do Ministério dos Transportes, perde o velho relógio de Petrov. É então que Tsanko inicia uma luta desesperada para recuperar o seu antigo relógio e a dignidade.
Um drama da dupla de realizadores búlgara Kristina Grozeva e Petar Valchanov, de 41 e 35 anos, autora de ‘Urok - A Lição’ (2014).
“The variable incongruities of ‘Slava’ give it a queasy power uncommon in contemporary cinema. It’s the feel-bad movie of the spring.” 
The New York Times
“Une charge amèrement troussée contre l’impudence des gouvernants et le cynisme des communicants, laquelle présente le mérite supplémentaire d’être d’une épouvantable drôlerie.”
Le Monde
‘SLAVA - GLORY’
Kristina Grozeva / Petar Valchanov


28.5.17

Festival - Prémios de Cinema
FESTIVAL DE CANNES 2017  
‘The Square’, de Ruben Ostlund, vence Palm d’Or
70éme Festival International du Film de Cannes  


O júri do Festival de Cannes, presidido pelo realizador espanhol Pedro Almodóvar, declara como vencedor da competição oficial o filme ‘The Square’, do realizador sueco Ruben Ostlund, atribuindo-lhe a Palm d’Or para o melhor filme. O drama satírico conta a história de Christian, curador de um museu de arte moderna que dias antes antes da abertura da sua exposição é assaltado.
O Festival de Cannes, realizado na Côte d’Azur na costa sul de França, é o mais prestigiado e famoso festival de cinema do mundo, contando anualmente com a presença de 30 mil profissionais da arte e indústria cinematográfica e 4 mil jornalistas. Na edição deste ano, a competição Sélection Officielle, admitiu a concurso 18 longas-metragens, de 11 países.
O filme ‘A Fábrica de Nada’, do realizador português Pedro Pinho, venceu o prémio da crítica FIPRESCI Prize - Quinzaine des Réalisateurs 2017 

PALMARÉS 2017  
Palm d’Or (melhor filme em competição)   
‘The Square’ (2017 Suécia), de Ruben Ostlund, com Claes Bang e Elisabeth Moss 
Grand Prix (filme mais original em competição)   
‘120 Battements par Minute’ (2017 França), de Robin Campillo, com Nahuel Biscayart e Arnaud Valois
‘THE SQUARE’
Ruben Ostlund 
Festival de Cannes - Palm d’Or 2017 

26.5.17

CD - Álbum
‘BLACK ORIGAMI’ 
Jlin 
(2017 Planet Mu) 


A produtora e DJ electronic/ghetto house norte-americana Jlin, baseada em Chicago, é uma das percursoras do footwoork/juke, um género hip house. Estreou-se com o álbum ‘Dark Energy’ (2015 Planet Mu), onde apresentou uma sonoridade dura e infecciosa, inspirada na electrónica de dança obscura.
Jlin regressa agora com o novo álbum ‘Black Origami’, de uma arquitectura musical experimental, eventiva e vanguardista. Ritmo frenético, percussão arrítmica e voz de comando num álbum que contribui de forma brilhante para consolidar um estilo industrial e coreógrafo.
“It's dark and relentless. But it's also powerful and distinctive. In the world of rhythmic electronic music, nobody else is doing it quite like this.” 
Resident Advisor
‘ENIGMA’
Jlin

24.5.17

Livros - Exposição e Venda
87ª FEIRA DO LIVRO DE LISBOA  
Há mais vida no Parque!  
De 01 a 18 de Junho no Parque Eduardo VII
(APEL)  


A Feira do Livro de Lisboa, organizada pela Associação Portuguesa de Editores e Livreiros, é a maior montra da edição em Portugal - com perto de cem mil títulos distribuídos por três centenas de pavilhões de 602 editores, chancelas, alfarrabistas e livreiros presentes. A feira tem em vista promover e difundir livros em língua portuguesa e fomentar os hábitos de leitura. Os livros publicados há menos de 18 meses são vendidos com um desconto de 20% e as novidades vendidas com um desconto máximo de 10%.
Renovada no visual e estrutura, a Feira do Livro de Lisboa conta com módulos padronizados, pavilhões diferenciados, auditório e espaços de lazer e street food alargados. O programa contempla debates, conferências, sessões de autógrafos, apresentações, lançamentos e celebrações.
Horário das 12h30 às 23h00 (segunda a quinta) e das 11h00 às 00h00 (sextas, sábados e domingos). Aplicação 'Feira do Livro de Lisboa' na Apple App Store. 

SELECÇÃO 
‘O Czar do Amor e do Tecno’ Anthony Marra (2016 Teorema)   
‘Santuário’ Andrew Michael Hurley (2016 Bertrand Editora)  
‘A Vegetariana’ Han Kang (2016 D. Quixote)  
‘Fruta Deliciosa’ James Hannaham (2016 Relógio d’Água)   
‘Breve História de Sete Assassinatos’ Marlon James (2016 Relógio d’Água)   
‘A Associação das Pequenas Bombas’ Karan Mahajan (2017 Relógio d’Água)  
‘Canção Doce’ Leila Slimani (2017 Alfaguara)  
‘Não Digam que Não Temos’ Madeleine Thien (2017 Relógio d´Água)  
‘O Vendido’ Paul Beatty (2017 Elsinore) 
HÁ MAIS VIDA NO PARQUE!
Feira do Livro de Lisboa 

22.5.17

Filme - Estreia a 01 de Junho no Medeia Monumental
‘FÉLICITÉ’ 
de Alain Gomis 
com Véro Mputu e Gaetan Claudia
(2017 Granit Films) 


Félicité é uma mulher orgulhosa e determinada que trabalha como cantora num bar em Kinshasa. A sua vida é abalada e alterada drasticamente quando o seu filho de 14 anos é vítima de um acidente de viação. Para o salvar, ela envolve-se numa arriscada corrida pelas ruas da eléctrica capital da RD Congo, com o apoio inesperado de Tabu.
Um drama musical do realizador senegalês Alain Gomis, de 45 anos, autor de ‘L’Afrance’ (2001), ‘Andalucía’ (2008) e ‘Aujourd’hui’ (2013).
Berlinale - Silberner Bar 2017
“'Félicité' trace la voie musicale, aérée, d’un réalisme qui cherche à capter ce qu’il y a de meilleur dans l’adversité plutôt que d’y tournoyer sans fin.” 
Cahiers du Cinéma
“Le quatrième long-métrage d’Alain Gomis cherche et trouve la beauté au milieu de la violence de la métropole.” 
Le Monde
‘FÉLICITÉ’
Alain Gomis 

20.5.17

Livro - Romance
‘O VENDIDO’ 
Paul Beatty 
(2017 Elsinore) 


O afro-americano Me, criado em Dickens, um gueto agrário nos arredores de Los Angeles, e educado pelo pai, um sociólogo obcecado pela questão racial, conformou-se em seguir o destino estéril da baixa classe-média. No entanto, falido e com o pai morto num tiroteio com a polícia, decide restaurar a escravatura em Dickens e a segregação na escola local.
Um romance satírico, de 320 páginas, do escritor norte-americano Paul Beatty, de 54 anos, inédito em Portugal.
Booker Prize - Fiction 2016 
The New York Times - 10 Best Books of 2015 
National Book Critics Circle Award - Fiction 2015 
“A galvanizing satire of post-racial America. Powered by a wicked wit, with characters who speak a pop-philosopher patois, this is a funny and daring novel that subverts harmful cultural assumptions.”
The Guardian
“The most caustic and the most badass pages of an American novel read in at least a decade.” 
The New York Times
‘THE SELLOUT’
Paul Beatty

18.5.17

Festival de Arte Urbana
MURO 
A greater wall 
De 25 a 28 de Maio em Marvila - Lisboa
(GAU)


Festival de arte urbana pensado para derrubar barreiras dentro da cidade e da sociedade, através da arte urbana, o Muro reúne artistas nacionais e internacionais para intervir artisticamente em bairros da cidade. O objectivo não é apenas levar a arte urbana a espaços públicos, mas também juntar artistas, moradores e visitantes num só evento realizado em áreas da cidade mais vulneráveis. O Muro promove a cidade de Lisboa no panorama de arte urbana, num evento livre que convida todos a ter um novo olhar sobre a cidade.
Nesta segunda edição, o Muro leva a arte urbana até Marvila. São 4 000 m2 de área de intervenção de 17 artistas de sete países, visitas guiadas, concertos, debates, exposições de fotografia e animação de rua.

SELECÇÃO 
Sábado, 27 de Maio 
10h00 - Visita Guiada - Arte Urbana 
12h00 - Visita Guiada - Arte Urbana 
15h00 - Visita Guiada - Arte Urbana 
18h00 - Concerto na Empena - DJ Riot
A GREATER WALL
Muro