14.12.17

Balanço - Filmes do Ano
‘FILM COMMENT’
Is for film lovers  
Best Films of 2017
(Film Society of Lincoln Center)  


Na sua edição de Janeiro/Fevereiro, a ‘Film Comment’ apresenta os melhores filmes do ano estreados e os melhores filmes descobertos em festivais de cinema e sem distribuição nos Estados Unidos, eleitos por uma centena de críticos e colaboradores da revista.
Publicada pela Film Society of Lincoln Center, a ‘Film Comment’ é a mais respeitada revista norte-americana sobre cinema. A publicação bimestral inclui entrevistas, críticas e discussões sobre filmes novos e clássicos e acompanha filmes em produção. É uma revista dirigida a espectadores de cinema independente norte-americano, das melhores produções de Hollywood e de cinema de autor de todo o mundo.
Revista 'Film Comment' à venda em Portugal nas lojas de imprensa internacional.  

FILM COMMENT - BEST FILMS OF 2017 
Best Released Films in the USA  
01. ‘Good Time’ de Josh e Beny Safdie (Estados Unidos)   
02. ‘A Quiet Passion’ de Terence Davies (Inglaterra) 
03. ‘Personal Shopper’ de Olivier Assayas (França) 
04. ‘Get Out - Foge’ de Jordan Peele (Estados Unidos)  
05. ‘Nocturama’ de Bertrand Bonello (França) 
Best Undistributed Films in the USA  
01. ‘A Fábrica de Nada’ de Pedro Pinho (Portugal) 
02. ‘Krotkaya’ de Sergei Loznitsa (Ucrânia) 
03. ‘Streetscapes’ de Heinz Emigholz (Alemanha) 
04. ‘Milla’ de Valérie Massadian (França) 
05. ‘Tonsler Park’ de Kevin Jerome Everson (Estados Unidos)
‘GOOD TIME’
Josh and Beny Safdie 
Film Comment - Best Films of 2017

12.12.17

Filme - Estreia a 21 de Dezembro no UCI El Corte Inglés
‘UNA MUJER FANTÁSTICA - UMA MULHER FANTÁSTICA’ 
de Sebastián Lelio 
com Daniela Vega e Francisco Reyes
(2017 Participant Media) 


Marina e Orlando, vinte anos mais velho do que ela, amam-se longe dos olhares e fazem projectos futuros. Quando ele morre repentinamente, Marina é alvo da hostilidade dos familiares de Orlando: uma ‘santa família’ que rejeita tudo o que Marina representa.
‘Una Mujer Fantástica - Uma Mulher Fantástica’ é um drama do realizador chileno Sebastián Lelio, de 43 anos, autor de ‘Gloria’ (2013).
“It may be a timely film, but it is its timelessness, as well as its depths of compassion, that qualify it as a great one.” 
The Guardian
“Psychologically astute and socially aware as the film is, it is also infused with mystery and melodrama, with bright colors and emotional shadows.”
The New York Times
“Un beau film, dur, intransigeant et sensuel.” 
Le Monde
“Façon, un peu déplaisante, de faire de son héroïne une cause et de mettre le spectateur de son côté contre tous les autres personnages.” 
Cahiers du Cinéma
‘UNA MUJER FANTÁSTICA’
Sebastián Lelio 

10.12.17

Filme - Estreia a 21 de Dezembro no Medeia Monumental
‘TESTROL ES LELEKROL - CORPO E ALMA’ 
de Ildiko Enyedi 
com Geza Morcsanyi e Alexandra Borbely
(2017 IMM Film) 


Num matadouro em Budapeste, surgem rumores quando Mária começa a trabalhar no controlo de qualidade. A jovem mulher almoça sempre sozinha e o seu chefe Endre também é reservado. Descobrem, por mero acaso, que partilham o mesmo sonho todas as noites e aceitam a estranha coincidência, tentando recriá-lo à luz do dia.
'Testrol es Lelekrol - Corpo e Alma' é um drama da realizadora húngara Ildiko Enyedi, de 62 anos, autora de ‘Az én XX. Századom’ (1989), ‘Buvos Vadasz’ (1994) e ‘Simon Magus’ (1999).
Berlinale - Goldener Bar / Fipresci Prize 2017 
“Ce film hongrois, à l’architecture compliquée, séduit par sa sincérité.” 
Le Monde
‘TESTROL ES LELEKROL’
Ildiko Enyedi 

8.12.17

Balanço - Filmes do Ano
'CAHIERS DU CINÉMA' 
Toute l’actualité du cinéma 
Le Top 10 2017
(Phaidon) 


Na edição de Dezembro, a ‘Cahiers du Cinéma’ apresenta ‘Les Dix Meilleurs Films 2017’, os melhores filmes do ano, numa escolha da redacção da revista de cinema.
Fundada em França em 1951, a ‘Cahiers du Cinéma’ formou gerações de cinéfilos entusiastas e provocadores e instituiu a política de autores. Muitos jovens cineastas franceses começaram por ser colaboradores da publicação antes de se tornarem realizadores. A mais prestigiada publicação francesa sobre cinema é actualmente propriedade da editora inglesa Phaidon e tem como director Jérôme Cuzol. As páginas da revista mantêm-se abertas à reflexão dos cineastas da actualidade.
Revista 'Cahiers du Cinéma' à venda em Portugal nas lojas de imprensa internacional. 

CAHIERS DU CINÉMA - LE TOP 10 2017 
01. ‘Twin Peaks: The Return’ de Mark Frost e David Lynch (Estados Unidos) 
02. ‘Jeannette: L’Enfance de Jeanne d’Arc’ de Bruno Dumont (França) 
03. ‘Certain Women’ de Kelly Reichardt (Estados Unidos) 
04. ‘Get Out - Foge’ de Jordan Peele (Estados Unidos) 
05. ‘Geu-hu - O Dia Seguinte’ de Hong Sang-soo (Coreia do Sul) 
06. ‘L’Amant d’Un Jour - O Amante de Um Dia’ de Philippe Garrel (França) 
07. ‘Good Time’ de Josh e Benny Safdie (Estados Unidos) 
08. ‘Split - Fragmentado’ de M. Night Shyamalan (Índia) 
09. ‘Jackie’ de Pablo Larrain (Chile) 
10. ‘Billy Lynn’s Long Halftime Walk - Billy Lynn: A Longa Caminhada’ de Ang Lee (China)
‘TWIN PEAKS: THE RETURN’
Mark Frost & David Lynch 
Cahiers du Cinéma - Le Top 10 2017 

6.12.17

Balanço - Filmes do Ano
'SIGHT & SOUND' 
The international film magazine  
Best Films of 2017
(BFI)


Na edição de Janeiro da 'Sight & Sound' os 188 colaboradores, críticos e curadores seleccionados pela revista de cinema internacional elegem os ‘Best Films of 2017’, os melhores filmes do ano.
Editada deste 1932 pelo British Film Institute, a revista mensal independente sobre cinema 'Sight & Sound' é reconhecida internacionalmente pelas críticas, reportagens e ensaios que publica sobre filmes, festivais e cinematografias de todo o mundo. Informação, comentários, entrevistas, retrospectivas e as estreias mais recentes pelos melhores jornalistas e críticos, numa revista inspirada pelo cinema e dirigida por Nick James.
Revista 'Sight & Sound' à venda em Portugal nas lojas de imprensa internacional. 

SIGHT & SOUND - BEST FILMS OF 2017 
01. ‘Get Out - Foge’ de Jordan Peele (Estados Unidos) 
02. ‘Twin Peaks: The Return’ de Mark Frost e David Lynch (Estados Unidos) 
03. ‘Call Me by Your Name - Chama-me pelo teu Nome’ de Luca Guadagnino (Itália) 
04. ‘Zama’ de Lucrecia Martel (Argentina) 
05. ‘Western’ de Valeska Grisebach (Alemanha) 
06. ‘Visages, Villages’ de Agnès Varda (França) 
07. ‘Good Time’ de Josh e Benny Safdie (Estados Unidos) 
08. ‘Nelyubov’ de Andriy Zvyagintsov (Rússia) 
09. ‘Dunkirk’ de Christopher Nolan (Inglaterra) 
09. ‘The Florida Project’ de Sean Baker (Estados Unidos)
‘GET OUT’
Jordan Peele 
Sight & Sound - Best Films of 2017 

4.12.17

Balanço - Álbuns do Ano
'THE WIRE' 
Adventures in modern music 
Records of the Year 2017


Na edição de Janeiro da 'The Wire' os colaboradores da revista de música alternative/underground elegem os ‘Records of The Year 2017’, os melhores álbuns do ano.
Editada deste 1982, a revista mensal independente ‘The Wire’ é dedicada à música visionária e inspiradora, do avant rock e electronica ao hip hop e new jazz. Baseada em Londres e com direcção de Jann Wenner, a publicação é entusiasta, inteligente e provocativa na recusa do mundano e medíocre. A revista produz o programa/podcast semanal ‘Adventures in Music and Sound’ (Resonance FM / Mixcloud).
Revista 'The Wire' à venda em Portugal nas lojas de imprensa internacional. 

THE WIRE - RECORDS OF THE YEAR 2017 
01. ‘Paradiso’ Chino Amobi (NON Records) 
02. ‘Peasant’ Richard Dawson (Domino) 
03. ‘Tommy’ Klein (Hyperdub) 
04. ‘Black Origami’ Jlin (Planet Mu) 
05. ‘The Kid’ Kaitlyn Aurelia Smith (Western Vinyl) 
06. ‘Pariah’ Jana Rush (Objects Limited) 
07. ‘Simultonality’ Joshua Abrams & Natural Information Society (Eremite Records) 
08. ‘Lack 惊蛰’ Pan Daijing (PAN) 
09. ‘Fly or Die’ Jaimie Branch (International Anthem) 
10. ‘Reaching for Indigo’ Circuit des Yeux (Drag City)
‘BLACKOUT’
Chino Amobi
The Wire - Records of the Year 2017 

2.12.17

Filme - Estreia a 14 de Dezembro no Midas Cinema Ideal
‘UN BEAU SOLEIL INTÉRIEUR - O MEU BELO SOL INTERIOR’ 
de Claire Denis 
com Juliette Binoche e Xavier Beauvois
(2017 Curiosa Films) 


Nos seus 50 anos, Isabelle é uma artista parisiense e mãe divorciada que vive sozinha. A sua decepção com as relações amorosas não a faz perder a esperança. Procura o amor e, apesar da insatisfação, não desiste.
‘Un Beau Soleil Intérieur - O Meu Belo Sol Interior’ é uma comédia dramática da realizadora francesa Claire Denis, de 69 anos, autora de ‘Nénette et Boni’ (1997) e ‘Beau Travail’ (1999).
“This is grownup film-making, more savoury than sweet, seductive, oblique and carried by a wonderfully smart and emotionally generous performance from Juliette Binoche.” 
The Guardian
“'Un Beau Soleil Intérieur' est probablement son film le plus volubile, le plus drôle aussi.” 
Cahiers du Cinéma
‘UN BEAU SOLEIL INTÉRIEUR’
Claire Denis 

30.11.17

Música - Concerto
MARK DE CLIVE-LOWE
LX Jazz Sessions #04
Quarta, 13 de Dezembro, às 22h30, no Rive-Rouge 


O músico, DJ e produtor electronic/jazz japonês-neozelandês Mark de Clive-Lowe, começou por ajudar a evoluir o hip hop/broken beat inglês afirmando-se como um dos influenciadores do progressive/electronic. Radicado em Los Angeles, desde 2008, promoveu a aclamada club night ‘Church’, divulgando o jazz/beat/mash up global.
Como pianista, compositor e produtor Mark de Clive-Lowe apaga as linhas entre géneros e eras, colabora com artistas da África do Sul, Japão, Estados Unidos e Europa e participa em festivais jazz em todo o mundo. De entre a dezena de álbuns editados, destaque para ‘Tides Arising’ (2005 ABB). Mark de Clive-Lowe apresenta-se em concerto no club do Mercado da Ribeira, agora com direcção de Miguel Ângelo Fernandes e programação de Hnrq.
“The main behind a million great tunes.” 
Gilles Peterson (Worldwide/Brownswood)
"É em Los Angeles que há uma década forja todo um programa de futuro para o electro jazz. Im-per-dí-vel!"
Rive-Rouge
BOILER ROOM LOS ANGELES
Mark de Clive-Lowe 

26.11.17

Cinema - Prémios
LISBON & SINTRA FILM FESTIVAL '17 
Prémios da Selecção Oficial 
’Tesnota’, de Kantemir Balagov, vence Prémio de Melhor Filme


O filme ’Tesnota’, longa-metragem de estreia do realizador russo Kantemir Balagov, acaba de ser distinguido com o Prémio Melhor Filme atribuído pelo Lisbon & Sintra Film Festival. O drama conta a história de uma jovem judia do Cáucaso Norte que, juntamente com os pais, tudo faz para conseguir pagar o resgate do seu irmão mais novo. O júri internacional do LEFFEST ’17, presidido pelo realizador canadiano David Cronenberg, distinguiu ’Tesnota’ entre 13 longas-metragens de 12 países em competição.
A 11.ª edição do LEFFEST contou mais de duas dezenas de realizadores internacionais e quatro dezenas de convidados entre actores, escritores, fotógrafos e músicos. Sessões especiais, homenagens, retrospectivas, simpósio, espectáculos, exposições, conferências e leituras completaram o programa.
O filme 'Tesnota' volta a ser exibido no domingo, 26 de Novembro às 21h15 no Medeia Monumental. 

PALMARÉS LEFFEST '17 
Prémio de Melhor Filme 
’Tesnota’ (2017 Rússia), de Kantemir Balagov, com Atrem Cipin e Olga Dragunova 
Prémio Especial do Júri 
‘Cocote’ (2017 República Dominicana), de Nelson Arias, com Vicente Santos e Yuberbi de la Rosa
‘TESNOTA’
Kantemir Balagov 
LEFFEST - Prémio de Melhor Filme 2017

24.11.17

Filme - Estreia a 07 de Dezembro no Medeia Monumental e Midas Cinema Ideal
‘120 BATTEMENTS PAR MINUTE - 120 BATIMENTOS POR MINUTO’ 
de Robin Campillo 
com Nahuel Pérez Biscayart e Arnaud Valois
(2017 Les Films de Pierre) 


Início dos anos 1990. Com a SIDA a ceifar inúmeras vidas nos últimos dez anos, os activistas da Act-Up Paris multiplicam as suas acções para lutar com a indiferença generalizada. Nathan, um jovem que se junta ao movimento, vê a sua vida transformada por Sean, um dos militantes mais activos.
'120 Battements par Minute - 120 Batimentos por Minuto' é um drama do realizador francês Robin Campillo, de 55 anos, autor de ‘Les Revenants’ (2004) e ‘Eastern Boys’ (2013).
Festival de Cannes - Grand Prix / Fipresci Prize 2017 
“Sous ses airs naturalistes, le film est travaillé, en filigrane, par une structure narrative sophistiquée, qui va du général vers le particulier. '120 Battements par Minute' est l’un des plus beaux films de l’année.” 
Les Inrockuptibles
“La libre association des énergies constitue le trait le plus immédiatement marquant de '120 Battements par Minute'. Une attention et une empathie qui n’empêchent pas la lucidité, voire l’ironie.” 
Le Monde
“This film has what its title implies: a heartbeat. It is full of cinematic life.” 
The Guardian
“Its immediacy comes in part from the brisk naturalism of the performances and the nimbleness and fluidity of the editing.” 
The New York Times
‘120 BATTEMENTS PAR MINUTE’
Robin Campillo 

18.11.17

Filme - Estreia a 30 de Novembro no Medeia Monumental
‘LUCKY’
de John Carroll Lynch
com Harry Dean Stanton e David Lynch
(2017 Superlative Films)


A viagem espiritual de um homem ateu de 90 anos e dos peculiares personagens que habitam na sua pequena cidade perdida no meio do deserto. Depois de já ter vivido e fumado mais do que todos os seus contemporâneos, o obstinado e independente Lucky vê-se no precipício da sua vida e inicia uma jornada de auto-conhecimento.
‘Lucky’ é um drama do actor norte-americano John Carroll Lynch, de 54 anos, que representa a sua estreia na realização.
“Nothing much happens in 'Lucky', and then everything does. The accumulation of spot-on performances and long-familiar faces, small-town routines and dusty-worn locations, finally coalesces into a picture that’s greater than the sum of its oft-clichéd parts.” 
The New York Times
‘LUCKY’
John Carroll Lynch 

16.11.17

Música - Álbum
‘SUPERLATIVE FATIGUE’
Errorsmith 
(2017 PAN) 


O produtor e DJ house/techno alemão Erik Wiegand, cria clubmusic desde os anos 1990. Já fez parte das duplas MMM e Soundstream/Soundhack e a solo, sob o nome Errorsmith, expande o horizonte sónico através da síntese do som digital em tempo real e da construção de sintetizadores de software modular. Entre as edições, destaque para o álbum ‘Errorsmith #1’ (1999 Errorsmith).
Errorsmith regressa agora com o novo álbum ‘Superlative Fatigue’, assente na exploração espectral, sons sintetizados e mudanças tímbricas. Sonoridades techno/acid hall e afrobeat/guetto sound of Lisbon, num álbum festivo, criativo e épico. Para arrasar as pistas de dança.
“Aurally dazzling all the way through. But perhaps even better than its sound is its style. The rhythms are elastic, blending elements. The album is minimalist and avant-garde, but also rambunctious and overblown.” 
Resident Advisor
“This is a true LP. One disc, two sides of music. Progression and a good length to actually listen through. And overall ‘Superlative Fatigue’ is good for the brain - and the butt.” 
XLR8R
‘SUPERLATIVE FATIGUE’
Errorsmith 

14.11.17

Filme - Estreia a 30 de Novembro no Medeia Monumental
‘GEU-HU - O DIA SEGUINTE’ 
de Hong Sangsoo 
com Cho Yunhee e Joabang Ki
(2017 Jeonwonsa Film)


É o primeiro dia de Areum numa pequena editora. Bongwan, o seu chefe, acabou recentemente a relação com a rapariga que estava no lugar de Areum. Nesse dia, a mulher de Bongwan encontra uma carta de amor, vai até ao escritório sem avisar, e confunde Areum com a rapariga que partiu.
‘Geu-Hu - O Dia Seguinte’ é um drama do realizador sul-coreano Hong Sang-soo, de 57 anos, autor de ‘Bam Gua Nat - Noite e Dia’ (2008), ‘Ha Ha Ha’ (2010) e ‘Da-reun Na-ra-e-suh - Noutro País’ (2012) e ‘Jigeumeun Matgo Geuttaeneun Teullida - Sítio Certo, História Errada’.
“'Geu-Hu' is an elegant exercise. It feels like a chapter from something bigger.” 
The Guardian
“Hong Sangsoo a redéfinin ses personnages et sa manière de se livrer plus frontalement (sécheresse) et plus entièrement (plénitude).” 
Cahiers du Cinéma
“C’est peut-être ce qui entoure 'Geu-Hu' d’un parfum assez violemment intime voire impudique, mais aussi d’un poids plus lourd et plus sombre que ce à quoi nous a habitués le cinéaste.”
Les Inrockuptibles
‘GEU-HU’
Hong Sangsoo

10.11.17

Novela Gráfica - Mangá
‘NONNONBA’ 
Shigeru Mizuki 
(2017 Edições Devir / Tsuru) 


A infância de Shigeru Mizuki, fundador do mangá de terror, em que a avó NonNonBa lhe transmite algum misticismo e temor em relação ao mundo dos espíritos, os yokai, entidades misteriosas e sobrenaturais da tradição medieval.
A novela gráfica ‘NonNonBa’ é uma banda desenhada mangá de ambientes fantásticos e ilustrações pueris do autor japonês Shigeru Mizuki (1922-2015). Uma obra, de 244 páginas a preto e branco, publicada originalmente sob o título ‘Nonnonba to Ore’ (1992 Chikumashobo).
Festival d’Angoulême - Fauve d’Or Prix du Meilleur Album 2007 
Eisner Awards - Best U.S. Edition of International Material Asia 2012 
“A must-read, a classic work that is important as it is charming.”
Comics Alliance
L’ÂME DU MANGA
‘NonNonBa’ 

8.11.17

Filme - Estreia a 23 de Novembro no UCI El Corte Inglés
‘COCO’ 
de Lee Unkrich 
com Anthony Gonzalez e Gael García Bernal
(2017 Disney Pixar)


Miguel é um menino de 12 anos que sonha vir a ser um músico famoso, mas que vive contrariado pela família. Ainda assim, Miguel vive com a determinação de tornar o seu sonho em realidade e pelo caminho acaba desencadeando uma série de acontecimentos ligados a um mistério de 100 anos.
‘Coco’ é uma comédia de aventuras em animação do realizador norte-americano Lee Unkrich, de 50 anos, co-autor de ‘Finding Nemo - À Procura de Nemo’ (2003).
'Coco' é exibido em versão original, legendada em português, na sessão das 21h50 no UCI El Corte Inglés. 
“'Coco' is a rousing, affecting, fun and much-needed return to form after underwhelming sequels and will help to ensure that Pixar’s legacy remains intact.” 
The Guardian
 “If 'Coco' doesn’t quite reach the highest level of Pixar masterpieces, it plays a time-tested tune with captivating originality and flair, and with roving, playful pop-culture erudition.” 
The New York Times
“Parvenue à ce point d’équilibre, la grande réconciliation par-delà deuils et secrets enfouis qui conclut ‘Coco’ atteint à une pureté mélodramatique qu’on ne connaissait plus au studio.” 
Cahiers du Cinéma
“Fresque labyrinthique sur la mémoire et l’oubli, thèmes pixariens par excellence, ‘Coco’ associe sophistication narrative et beauté visuelle.” 
Le Monde
‘COCO’
Lee Unkrich

6.11.17

Cinema - Mostra
LISBON & SINTRA FILM FESTIVAL ‘17 
Também aprendemos a crescer, ao longo dos anos
De 17 a 26 de Novembro no Medeia Monumental e Espaço Nimas
(Leopardo Filmes)  


Todos os anos, o Lisbon & Sintra Film Festival aposta na descoberta de novos talentos, na melhor selecção de filmes em competição, na homenagem a personalidades marcantes através de retrospectivas ou nas mostras integrais de cineastas raros e em exposições de criações de artistas cuja obra está marcadamente associada ao cinema.
Nesta 11.ª edição, o LEFFEST, com direcção de Paulo Branco, conta com mais de 150 filmes, duas dezenas de realizadores internacionais e quatro dezenas de convidados entre actores, escritores, fotógrafos e músicos. O júri internacional, presidido pelo realizador norte-americano David Cronenberg, atribuirá Prémios Selecção Oficial às 13 longas-metragens em competição. Sessões especiais, homenagens (Isabelle Huppert, Peter Brook), retrospectivas (Abel Ferrara, Alain Tanner, João Mário Grilo), simpósio, espectáculos, exposições, conferências e leituras completam o programa.
Bilhetes à venda no cinema Medeia Monumental por 5 euros. 

SELECÇÃO 
Domingo, 26 de Novembro 
21h15 Medeia Monumental Sala 4 - Filme Premiado (Competição Oficial) 
Prémio de Melhor Filme LEFFEST  
TAMBÉM APRENDEMOS A CRESCER, AO LONGO DOS ANOS
Lisbon & Sintra Film Festival ’17 

4.11.17

BD - Troféus
PRÉMIOS NACIONAIS DE BANDA DESENHADA  
Amadora BD   
‘Os Ignorantes’, de Étienne Davodeau, vence Prémio Melhor Álbum de Autor Estrangeiro


A novela gráfica ‘Os Ignorantes’ (2016 Público/Levoir), do autor francês Étienne Davodeau, acaba de ser distinguida com o Prémio Melhor Álbum de Autor Estrangeiro atribuído pelo Amadora BD - 28.º Festival Internacional de Banda Desenhada. ‘Os Ignorantes’ relata uma iniciação cruzada entre o autor de banda desenhada e um seu amigo viticultor através de ilustrações de traço rápido e aguada de guache.
Os Prémios Nacionais de Banda Desenhada funcionam como elemento credibilizador do mercado editorial português de banda desenhada. A edição de banda desenhada em Portugal continua a ser um pequeno nicho, mas ainda assim tem sabido crescer e aumentar os seus públicos-alvo, criando novos leitores e canais de distribuição e divulgação. Entre as chancelas de grandes grupos editoriais e pequenas editoras, há grandes diferenças de recursos, mas não uma separação no que toca à qualidade de edição, impressão, acabamentos ou conteúdo.
Amadora BD, de 27 de Outubro a 12 de Novembro, no Fórum Luís de Camões. 

PRÉMIO MELHOR ÁLBUM DE AUTOR ESTRANGEIRO  
‘Os Ignorantes’, de Étienne Davodeau (2016 Público/Levoir) 
PRÉMIO CLÁSSICOS DA 9ª ARTE      
‘Ronin’, de Frank Miller (2016 Público/Levoir) 
PRÉMIO MELHOR ÁLBUM DE TIRAS HUMORÍSTICAS      
‘Conversas com os Putos’, de Álvaro (2016 Edições Polvo) 
PRÉMIO MELHOR ÁLBUM PORTUGUÊS      
‘Deserto/Nuvem’, de Francisco Sousa Lobo (2016 Chili com Carne) 
PRÉMIO MELHOR ÁLBUM DE AUTOR PORTUGUÊS EM LÍNGUA ESTRANGEIRA     
‘It’s No Longer I That Liveth’, de Francisco Sousa Lobo (2016 Chili com Carne/Mundo Fantasma)
‘OS IGNORANTES’
Étienne Davodeau 
PNBD - Prémio Melhor Álbum de Autor Estrangeiro 2017


2.11.17

Live Act
ACTRESS 
Live A/V  
Quinta, 16 de Novembro, às 00h30, no Musicbox Lisboa


Actress é o projecto do DJ e produtor londrino Darren ‘Daz’ Cunningham, fundador da editora Werk Discs, e que já editou os álbuns essenciais ‘Splazsh’ (2010 Honest Jon’s) e ‘R.I.P.’ (2012 Honest Jon’s) explorando o universo house/techno e dubstep/r&b a que acrescenta o funk/electro/jack.
Actress acaba de editar o novo álbum ‘AZD’ (2017 Ninja Tune), uma viagem a um mundo paralelo metálico e brilhante. Techno/minimal/abstract distinto e visionário ao vivo no club do Cais do Sodré.
Bilhetes à venda na Fnac e BOL por 15 euros.
BOILER ROOM MUMBAI 2016
Actress 

28.10.17

Cinema Documental - Prémios
DOCLISBOA ‘17 
15º Festival Internacional de Cinema
‘Milla’, de Valérie Massadian, vence Grande Prémio para Melhor Longa-Metragem


O documentário ‘Milla’, da realizadora francesa Valérie Massadian, acaba de ser distinguido com o Grande Prémio para Melhor Longa-Metragem da Competição Internacional atribuído pelo Doclisboa ‘17. A concurso estavam 19 filmes documentais (curtas, médias e longas metragens) de 17 países. ‘Milla’ conta a história de dois jovens que se refugiam numa pequena cidade no Canal da Mancha, para viver um amor, custe o que custar.
Promovido pela Apordoc, o Doclisboa apresenta todos os anos em antestreia os melhores documentários da última temporada e reúne uma série de programações não competitivas, com o objectivo de criar uma nova consciência da riqueza, diversidade e potencialidades do cinema do real.
O documentário ‘Milla’ volta a ser exibido no domingo, 29 de Outubro às 21h30 na Culturgest.  

PALMARÉS DOCLISBOA ‘17  
Grande Prémio para Melhor Longa-Metragem da Competição Internacional   
‘Milla’ (2017 França 1128’) de Valérie Massadian, com Severine Jonckeere e Luc Cheptel.
‘MILLA’
Valérie Massadian 
Doclisboa - Grande Prémio para Melhor Longa-Metragem 2017


26.10.17

DJ Set
DAPHNI 
Daphni aka Caribou
Sábado, 11 de Novembro, a partir das 00h30, no Lux


Daniel Snaith é o músico de electrónica, multinstrumentista e matemático canadiano que desenvolveu o projecto Manitoba, entre 2003 e 2005, e depois se passou a apresentar como Caribou, projecto sob o qual lançou ‘Andorra’ (2007 Merge), ‘Swim’ (2010 Merge) e ‘Our Love’ (2014), álbuns dance pop/house de grande elegância sónica e experimental.
Paralelamente, Daniel Snaith fundou a editora Jiaolong e desenvolveu o projecto Daphni, com o qual editou o álbum ‘Jiaolong’ (2012 Merge), 'Fabriclive 93' (2017 Fabric) e ‘Joli Mai’ (2017 Jiaolong), em que revela um som house/techno/leftfield mais orgânico e directo às pistas de dança. Beats, batidas, loops, samples e sintetizadores em temas menos elaborados e mais espontâneos a explorar a dance music retro/vintage no club de Santa Apolónia.
Bilhetes à venda na bilheteira do Lux, a partir das 23h00 do dia do evento.
LIVE AT SHRINE (LOS ANGELES)
Daphni

22.10.17

Novela Gráfica
‘DO INFERNO’ 
Alan Moore e Eddie Campbell 
(2017 Edições Devir) 


Os assassinatos de Whitechapel, das ruas miseráveis do East End às Houses of Parliament, das iguarias da igreja aos antros do oculto. Toda a Londres sente fascínio, repulsa e pânico por Jack the Ripper. A cidade fica à beira do século XX, e é necessário apenas o menor impulso para mergulhar numa era moderna do terror.
 ‘Do Inferno’ é uma novela gráfica de crime noir e ficção histórica dos autores britânicos Alan Moore (texto) e Eddie Campbell (arte), uma obra de 576 páginas a preto e branco. Compilação da série publicada originalmente sob o título ‘From Hell’ (2004 Top Shelf Productions).
Eisner Awards - Best Writer 1995 
Festival d’Angoulême - Grand Prix de la Critique 2001 
“At once a meditation on evil, a police procedural and a commentary on Victorian England. An impressive piece of work.” 
The Los Angeles Times
‘DO INFERNO’
Alan Moore e Eddie Campbell 


18.10.17

Prémio Literário
BOOKER PRIZE 2017 
Fiction at its finest 
‘Lincoln in the Bardo’, de George Saunders, vence prémio literário
(The Booker Prize Foundation) 


O romance ‘Lincoln in the Bardo’ (2017 Bloomsbury), do escritor norte-americano George Saunders, acaba de ganhar o Booker Prize, o mais importante prémio literário britânico. O autor receberá 50 mil libras e o habitual incremento de vendas do livro em todo o mundo. Editado em Portugal sob o título ‘Lincoln no Bardo’ (2017 Relógio d’Água), a obra conta a história de Abraham Lincoln que, em 1862, passa uma noite num cemitério de Georgetown a comunicar com um coro de vozes depois da morte do seu jovem filho Willie, preso no limbo.
Romance de estreia do contista George Saunders, de 58 anos, autor de ‘Dez de Dezembro’ (2016 Ítaca) e ‘Pastoralia’ (2017 Antígona).
“The form and style of this utterly original novel, reveals a witty, intelligent, and deeply moving narrative.” 
Booker Prize Jury
“A masterpiece. A luminous feat of generosity and humanism. No one writes more powerfully than George Saunders about the lost, the unlucky, the disenfranchised.” 
 The New York Times
“Filled with wit and sadness. It is an immensely powerful work. Huge excitement greeted this debut novel from the US short-story master.” 
The Guardian
‘LINCOLN NO BARDO’
George Saunders
Relógio d’Água


16.10.17

Música - Álbum
‘IT'S ALRIGHT BETWEEN US AS IT IS’ 
Lindstrom 
(2017 Smalltown Supersound) 


O multi-instrumentista, DJ e produtor norueguês Hans Peter Lindstrom dirige desde 2003 a sua própria editora, a Feedelity Records. Em 2005, formou com o também norueguês Thomas Hermansen a dupla italo disco/funk Lindstrom & Prins Thomas. A solo, Lindstrom lançou os álbuns 'It’s a Feedelity Affair' (2006 Feedelity), ‘Where You Go I Go Too’ (2008 Feedelity), ‘Real Life Is No Cool’ (2010 Feedelity) e ‘Smalhans’ (2012 Feedelity) que o confirmam como líder do movimento nu-disco/space disco.
Lindstrom regressa agora com o novo álbum ‘It's Alright Between Us As It Is’, onde ao longo de nove temas refina sintetizadores e melodias. Viagens cósmicas, disco-sound nórdico, electro/pop progressivo e batidas house num fluxo contínuo quase perfeito.
“This new album works hard to add several new jams to his inimitable canon.” 
Mixmag
“He’s now back out the other side, making his traditional 'space disco', but with some beautiful acid-flashback flourishes.” 
The Guardian
‘SHININ’
Lindstrom 

14.10.17

Banda Desenhada - Festival
AMADORA BD   
28.º Festival Internacional de Banda Desenhada   
De 27 de Outubro a 12 de Novembro no Fórum Luís de Camões
(CM Amadora)   


A edição de 2017 do festival de banda desenhada Amadora BD apresenta como tema central a ‘Reportagem', com a exposição de obras de Constantin Guys, entre outros, comissariada por Sara Figueiredo Costa. O autor em destaque é Nuno Saraiva.
O programa do festival dirigido por Nelson Dona contempla exposições, presença de autores nacionais e estrangeiros (sessões de autógrafos, debates e colóquios, novidades editoriais e workshops), espaço comercial (feira do livro de banda desenhada) e animação infantil. No âmbito do Amadora BD, serão atribuídos os Prémios Nacionais de Banda Desenhada que funcionam como elemento credibilizador do panorama português de banda desenhada.
Bilhete de entrada por 3 euros. 

SELECÇÃO 
Exposições
Contar o Mundo - A reportagem em banda desenhada 
Jack Kirby - 100 Anos de um Visionário 
O Espírito de Will Eisner 
Ano Editorial Português 2016-2017
Lançamentos
‘Do Inferno’ de Alan Moore e Eddie Campbell (Edições Devir)  
‘NonNonBa’ de Shigeru Mizuki (Edições Devir / Tsuru) 
Autores Presentes
Ted Rall 
Joshua Neufeld 
Marcello Quintanilha 
Denis Kitchen 
John Layman
REPORTAGEM
Amadora BD


12.10.17

Filme - Estreia a 26 de Outubro no Medeia Monumental e Midas Cinema Ideal
‘TOIVON TUOLLA PUOLEN - O OUTRO LADO DA ESPERANÇA’ 
de Aki Kaurismaki 
com Ville Virtanen e Dome Karukoski
(2017 Sputnik) 


Khaled é um refugiado sírio que perdeu quase toda a família. Chega a Helsínquia e procura asilo sem grande esperança no seu futuro. Wikstrom é um caixeiro-viajante que decide deixar a mulher e o trabalho. Muda de vida e compra um pequeno restaurante. Quando as autoridades decidem extraditar Khaled, Wikstrom descobre-o e decide contratá-lo.
‘Toivon Tuolla Puolen - O Outro Lado da Esperança’ é uma comédia dramática do realizador finlandês Aki Kaurismaki, de 60 anos, autor de ‘Tulitikkutehtaan Tytto - A Rapariga da Fábrica de Fósforos’ (1990), ‘Mies Vailla Menneisyytta - O Homem sem Passado’ (2002) e ‘Le Havre’ (2011).
Berlinale - Silberner Bar Beste Regie 2017 (melhor realizador)
“There aren’t really any surprises in ‘Toivon Tuolla Puolen’; it’s more like witnessing the ongoing cultivation of a humane philosophy. But the film is devilishly funny and economically constructed.”
The Guardian
“Le film contient simultanément une forme de profonde empathie et une sécheresse implacable. C’est par la petite porte de la mise en scène, du conte savamment troussé qu’il attrape, et il n’en est que plus précieux.” 
Cahiers du Cinéma
‘TOIVON TUOLLA PUOLEN’
Aki Kaurismaki 

10.10.17

Live Set
LONE
Jameson Urban Routes  
Quarta, 25 de Outubro, das 00h30 às 03h00, no Musicbox Lisboa


O Jameson Urban Routes, festival indoor novas tendências da música moderna e urbana, promete animar as noites de Outono e pôr Lisboa a dançar com concertos e sessões de DJs. Em colaboração com o Musicbox, a Jameson Irish Whiskey programa para o palco do club do Cais do Sodré nomes de referência e emergentes da cena nacional e internacional. Nesta 11.ª edição, o destaque vai para a actuação de Lone.
O músico inglês house/bass/ambient Matt Cutler, sob o pseudónimo Lone, estreou-se em 2007 e já editou vários álbuns que combinam uma sonoridade abstract hip-hop com texturas electrónicas, que depois se orientam para a pista de dança, com destaque para os essenciais ‘Galaxy Garden’ (2012 R&S Records) e ‘Reality Testing’ (2014 R&S Records) e o mix-álbum ‘DJ-Kicks’ (2017 !K7). Hip-hop vintage, house/jazz e techno/Detroit relaxante, fluido e atraente.
Bilhetes à venda na Fnac e BOL por 15 euros. Oferta de um 'Jameson Irish Whiskey'. 
BOILER ROOM NOTTINGHAM 2016
Lone 

8.10.17

Novela Gráfica
‘Y - O ÚLTIMO HOMEM’ 
Brain K. Vaughan e Pia Guerra 
(2017 Levoir / ‘Público’) 


Quando em 2002 todas as criaturas com cromossoma Y morreram instantaneamente, sem qualquer explicação, a Terra mudou para sempre. A sociedade encontra-se à beira do colapso com o desaparecimento de mais de metade da população. As mulheres dominam o mundo, mesmo sabendo que não há salvação para a raça humana.
Em edição de coleccionador, ’Y - O Último Homem’ é uma série de banda desenhada de ficção científica pós-apocalíptica do norte-americano Brain K. Vaughan (argumento) e da canadiana Pia Guerra (arte). Obra publicada originalmente sob o título ‘Y - The Last Man’ (2003 DC Comics Vertigo).
Eisner Awards - Best New Series 2003
Eisner Awards - Best Continuing Series 2005/2008
Eisner Awards - Best Penciller/Inker 2008 
“Funny and scary. An utterly believable critique of society.”
The Washington Post
Quinta, 19 Outubro, livro ‘Y - O Último Homem: Um Mundo sem Homens’ e quinta, 26 de Outubro, livro ‘Y - O Último Homem: Ciclos’ com o ‘Público’ por mais 12,90 euros cada volume.
‘Y - THE LAST MAN’
Brain K. Vaughan / Pia Guerra 

6.10.17

Cinema - Festival
DOCLISBOA‘17 
15º Festival Internacional de Cinema 
De 19 a 29 de Outubro na Culturgest, Cinema São Jorge e Cinema Ideal
(Apordoc) 


Organizado pela Apordoc - Associação pelo Documentário, o Doclisboa apresenta em antestreia os melhores documentários da última temporada numa tentativa de compreender em que ponto está e como opera hoje o cinema do real. O festival internacional de cinema documental pretende dar ao público novas formas de pensar, de ver o mundo e de comunicar, mostrando filmes importantes e premiados.
Com direcção de Cíntia Gil e Davide Oberto, o Doclisboa vai exibir nesta 15.ª edição 231 documentários de 44 países, alguns em estreia mundial. A programação inclui a Competição Nacional e Internacional, as secções paralelas Riscos, Heartbeat e Da Terra à Lua e as retrospectivas Vera Chytilova, dedicada à obra da cineasta da Nova Vaga Checa, e Uma Outra América, dedicado ao Cinema Directo do Quebeque.
Bilhetes à venda na Culturgest e Ticketline por 4 euros. 

SELECÇÃO  
Sexta, 20 de Outubro 
22h00 Cinema Ideal - ‘Le Vénérable W.’ (2016 Irão 100’) de Barbet Schroeder. 
Em Myanmar, o ‘Venerável Wirathu’ é um monge respeitado e influente budista no cerne do racismo. Todavia, a população é budista e baseia-se no pacifismo e tolerância. 
Sábado, 28 de Outubro 
19h15 Culturgest - ‘Fang Xiu Ying - Mrs. Fang’ (2017 Hong Kong 86’) de Wang Bing. 
A idosa Fang Xiu Ying vive numa aldeia do sul da China. Sofrendo da doença de Alzheimer está rodeada dos familiares e vizinhos, que a acompanham nos seus últimos dias. 
Domingo, 29 de Outubro  
21h30 Culturgest - Premiados   
Grande Prémio para Melhor Filme da Competição Internacional
EM OUTUBRO O MUNDO INTEIRO CABE EM LISBOA
Doclisboa’17

4.10.17

Mostra de Arte
POSTER 
Uma galeria pública a céu aberto 
De 14 de Outubro a 14 de Novembro, em Marvila - Lisboa
(Departamento)  


Mostra pública de arte e palavra, a Poster tem como ambiente nativo a rua. Palavras, fotografia, desenho, ilustração e mix media assumem o formato poster como meio. A Poster surge como homenagem a um dos mais poderosos meios de comunicação de sempre. Foi o primeiro meio em que a arte e publicidade se uniram em simbiose. Mudaram o mundo e mudaram a forma como o mundo comunica.
Artistas, designers, fotógrafos, escritores e arquitectos, portugueses e internacionais, juntaram-se para conceber 25 posters, impressos e colados nas paredes de Marvila, que se impõe como uma das novas zonas criativas de Lisboa. Os trabalhos criativos não respondem a nenhum tema específico, sendo apenas pensados com base no meio/formato do poster/cartaz.

Convidados
Adriano Sousa Lopes, Anna Balecho, Ateliermob, Broken Fingaz Crew, Cláudia Guerreiro, Cláudia R. Sampaio, Colectivo Warehouse, Halfstudio, Jessica Walsh, Kid Galindro, Kruella D’Enfer, Luís Alegre, Matilde Travassos, Pedro Lourenço, Pedro Pascoinho, Promontorio, Ricardo Passaporte, Rui Horta, Sérgio Godinho e Violeta Santos Moura.
UMA GALERIA PÚBLICA A CÉU ABERTO
Poster


2.10.17

Música - Álbum
‘NEW ENERGY’
Four Tet 
(2017 Text Records) 


O músico inglês Kieran Hebden é nome por trás do projecto Four Tet lançado em 1998 e que explora o folktronic/jazz e o broken beat/techno. Desde então, já foi DJ residente no club londrino Plastic People, realizou numerosas remisturas, fundou a editora Text Records e lançou vários álbuns, com destaque para ‘Pause’ (2001 Domino), ‘Rounds’ (2003 Domino), 'There is Love in You' (2010 Domino) e 'Beautiful Rewind' (2013 Text Records).
Four Tet regressa agora com o novo álbum ‘New Energy’, um conjunto de 14 temas electronic/ambient/house, onde liga o calor dos seus primeiros trabalhos às experiências de club mais recentes. Instrumentação orgânica refinada e estruturas quentes de percussão num álbum culto e sedutor.
“On this record, the club-orientated dancefloor tracks are gone. What’s left is a mature, ambient take that feels more reflective - and honest.” 
XLR8R
“Has the expansive, wandering pleasantness of a self-release unbothered. What it doesn’t have is a great deal of tracks to pull you back and the album title feels, ultimately, misleading.” 
The Guardian
"The energy here isn't exactly new, nor all that energetic, but it is aglow with comfort and compassion. 'New Energy' seems designed to lull and relax its listeners.
Resident Advisor
‘SW9 9SL’
Four Tet 

30.9.17

Filme - Reposição a 12 de Outubro no Medeia Espaço Nimas
‘TA'AM E GUILASS - O SABOR DA CEREJA’ 
de Abbas Kiarostami
com Homayoun Ershadi e Abdolrahman Bagheri
(1997 Abbas Kiarostami Productions)


Badii, um homem de meia-idade, percorre os arredores quase desertos de Teerão. Decidiu suicidar-se e ao volante do seu carro procura alguém que o enterre, caso seja bem-sucedido. Em 1997, o filme ‘Ta'am e Guilass - O Sabor da Cereja’ conquistou a Palm d’Or, distinção para melhor filme em competição no Festival de Cannes, e abriu o Ocidente ao cinema iraniano.
Um drama do realizador iraniano Abbas Kiarostami (1940 - 2016), autor de ‘Khane-ye Doust Kodjast? - Onde Fica a Casa do Meu Amigo?’ (1987), ‘Nema-ye Nazdik - Close-Up’ (1990), ‘Zire Darakhatan Zeyton - Através das Oliveiras’ (1994), ‘Bad Ma Ra Khahad Bord - O Vento Levar-nos-à’ (1999) e ‘Dah - Dez’ (2002).
20.º Aniversário - Cópia Restaurada 
“O mais enigmático e mais bem conseguido filme de Abbas Kiarostami é ainda hoje uma mescla incomum de humor, meditação e mistério, que sobrevive à distância cultural.” 
Medeia Filmes
‘TA'AM E GUILASS’
Abbas Kiarostami 

28.9.17

Livro - Romance
‘A CONTRALUZ’ 
Rachel Cusk 
(2017 Bertrand Círculo / Quetzal) 


Uma mulher divorciada chega a Atenas, no pico do Verão, para leccionar um curso de escrita. Aí chegada, torna-se a alvo de uma cadeia de narrativas, à medida que as pessoas que vai encontrando lhe contam, à vez, a história das suas vidas. Com o calor abrasador e os ruídos da cidade como pano de fundo, a sequência de vozes vai tecendo uma complexa tapeçaria humana.
Um romance em 10 conversas da escritora canadiana radicada em Inglaterra, Rachel Cusk, de 50 anos, inédita em Portugal.
The New York Times - The 10 Best Books of 2015 
Folio Prize - Shortlist 2015 
“A lethally intelligent novel. Spend much time with this novel and you'll become convinced that she is one of the smartest writers alive.” 
 The New York Times
“'Outline'. It defies ordinary categorisation. It is about authorial invisibility, it involves writing without showing your face. Rachel Cusk stitches, with fastidious brilliance, into a single fabric.” 
The Guardian
‘OUTLINE’
Rachel Cusk
(Beyond Borders Scotland)

26.9.17

DJ Set
ÂME 
Brunch Electronik Lisboa
Domingo, 08 de Outubro, das 20h00 às 22h00, na Tapada da Ajuda
(Brunch -In the Park) 


A par de Barcelona, Madrid e Paris, o Brunch Electronik transforma as tardes de domingo de Lisboa. Com um line-up de música electrónica, a Closing Party, 12.ª e última sessão ao ar livre, está programada para dançar e petiscar nos food trucks. Entre os DJs programados, destaque para Âme.
A dupla de produtores deep house alemã Frank Wiedemann e Kristian Beyer estreou-se em 2003 como Âme e co-fundou a editora Innervisions em 2005. Já editou os álbuns ‘Âme’ (2004 Sonar Kollecktiv) e ‘Live’ (2012 Innervisions). Kristian Beyer, a metade dos Âme que se dedica ao DJing, é um divulgador e influenciador do house com instrumentação e composição orquestral, embora desconstruído em sintetizadores vintage e vocalizações espectrais. Uma sessão de grandes viagens melódicas e hipnóticas a partir de temas clássicos deep house e minimal techno.
Resident Advisor - Top DJs of 2016 
Bilhetes à venda na Fnac e Blueticket por 11 euros.
BOILER ROOM 2016
Âme (Kristian Beyer) 

24.9.17

Filme - Estreia a 05 de Outubro no Medeia Monumental
‘BLADE RUNNER 2049’ 
de Denis Villeneuve 
com Harrison Ford e Ryan Gosling
(2017 Alcon Entertainment) 


O oficial K, um novo caçador de replicantes do LAPD, descobriu um segredo que tem o potencial de mergulhar a sociedade no completo caos. A descoberta leva-o a uma busca pelo antigo caçador de androides Rick Deckard, desaparecido há 30 anos.
Sequência de ‘Blade Runner - Perigo Iminente’ (1982), de Ridley Scott, ’Blade Runner 2049’ é um thriller de ficção científica do realizador canadiano Denis Villeneuve, de 49 anos, autor de ‘Prisoners - Raptadas’ (2013) e ‘Arrival - O Primeiro Encontro’ (2016).
“'Blade Runner 2049' is a narcotic spectacle of eerie and pitiless vastness, by turns satirical, tragic and romantic.” 
The Guardian
A carefully engineered narrative puzzle, and its power dissipates as the pieces snap into place. As sumptuous and surprising as it is from one scene to the next, it lacks the creative excess, the intriguing opacity and the haunting residue of its predecessor.
The New York Times
Un film cauchemardesque et magnifique.
Le Monde
‘BLADE RUNNER 2049’
Denis Villeneuve



22.9.17

Cinema - Mostra
18.ª FESTA DO CINEMA FRANCÊS 
O melhor e mais recente do cinema francês 
De 05 a 15 de Outubro no Cinema São Jorge e Cinema Ideal
(Institut Français du Portugal) 


A Festa do Cinema Francês é um festival de antestreias de longas-metragens de produções francesas recentes e inéditas em Portugal. Nesta edição, com uma programação inédita e rica em diversidade, são mostrados três dezenas de filmes em antestreia (alguns com distribuição portuguesa assegurada) que permitem abordar e redescobrir todos os géneros da produção cinematográfica francesa. Destaque para o ciclo especial ACID, dedicado ao cinema independente. O Padrinho desta 18.ª edição é o realizador francês Arnaud Desplechin.
A Festa do Cinema Francês é organizada pelo Institut Français du Portugal, Embaixada de França e Alliance Française e tem a coordenação geral de Aurélie Roguin.
Bilhetes à venda na Culturgest, Fnac e Ticketline por 3,50 euros.  

SELECÇÃO  
Domingo, 08 de Outubro 
21h30 Cinema São Jorge - ‘Jeune Femme’ (2017 França 97’), de Léonor Serraille, com Laetitia Dosch e Souleymane Seye Ndiaye. 
A trintona Paulo regressa a Paris com o seu gato, depois de uma longa ausência, para um recomeço de vida. 
Segunda, 09 de Outubro
21h30 Cinema São Jorge - ‘Petit Paysan’ (2017 França 90’), de Hubert Charuel, com Swann Arlaud e Sara Giraudeau. 
O jovem Pierre é criador de vacas leiteiras e a sua irmã veterinária. Uma epidemia infecta uma das suas vacas.
Sábado, 14 de Outubro 
21h30 Cinema São Jorge - ‘Le Concours’ (2016 França 119’), de Claire Simon, com Alain Bergala e Xanae Bove. 
O concurso de admissão na La Fémis, prestigiada escola de cinema, é filmado pela primeira vez. 
O MELHOR E MAIS RECENTE DO CINEMA FRANCÊS
18.ª Festa do Cinema Francês 

10.9.17

Festival - Prémios de Cinema
VENEZIA 74  
Mostra Internazionale d'Arte Cinematografica 2017  
‘The Shape of Water’, de Guillermo del Toro, vence Leone d'Oro.


O filme ‘The Shape of Water’, do realizador mexicano Guillermo del Toro, foi galardoado com o 'Leone d’Oro' para o melhor filme em competição na Venezia 74, a edição de 2017 do festival de cinema de Veneza (Itália). O drama de fantasia conta a historia de Elisa que trabalha em isolamento num laboratório oculto nos Estados Unidos e descobre uma experiência secreta. Guillermo del Toro, de 53 anos, é autor de 'El Laberinto del Fauno - O Labirinto do Fauno' (2006) e ‘El Orfanato - O Orfanato’ (2007).
Integrada na exposição internacional de artes La Biennale di Venezia, a Mostra Internazionale d'Arte Cinematografica, o mais antigo festival de cinema do mundo, realiza-se no Lido di Venezia. O júri que apreciou as 21 longas-metragens em competição e estreia mundial foi presidido pela actriz norte-americana Annette Bening.
‘The Shape of Water’ estreia em Portugal em Fevereiro. 

PREMI UFFICIALI 
Leone d’Oro (melhor filme) 
‘The Shape of Water’ (2017 México), de Guillermo del Toro, com Doug Jones e Michael Shannon. 
Gran Premio della Giuria (prémio especial do júri) 
‘Foxtrot’ (2017 Israel), de Samuel Maoz, com Lior Ashkenazi e Sarah Adler.
‘THE SHAPE OF WATER’
Guillermo del Toro 
Venezia 74 - Leone d’Oro 2017 

8.9.17

Filme - Estreia a 21 de Setembro no Medeia Espaço Nimas e Midas Cinema Ideal
‘A FÁBRICA DE NADA’ 
de Pedro Pinho 
com José Smith Vargas e Carla Galvão
(2017 Terratreme) 


Um grupo de operários percebe que a administração está a roubar máquinas e matérias-primas da sua própria fábrica. Para proteger os equipamentos e impedir o deslocamento da produção, os trabalhadores permanecem nos seus postos sem nada que fazer enquanto prosseguem as negociações para os despedimentos.
‘A Fábrica de Nada’ é um drama musical do realizador português Pedro Pinho. de 40 anos, autor dos documentários ‘Bab Sebta’ (2008) e ‘A Cidade e as Trocas’ (2014).
Festival de Cannes - Prix FIPRESCI de la Critique Internationale 2017 
“Œuvre de pensée, de mise en relation entre les registres, le film rencontre plus de difficultés à faire vivre, et par conséquent éprouver, le sortilège de la fiction.” 
Le Monde
“The latest cinematic response to Portugal’s financial crisis. Filled with rewarding eccentricities of its own. The three-hour running time contains manifold surprises and pleasures.” 
Film Comment
‘A FÁBRICA DE NADA’
Pedro Pinho 

6.9.17

Música - Álbum
‘BICEP’ 
Bicep 
(2017 Ninja Tune) 


A dupla Bicep, criada em 2009 pelos DJs e produtores norte-irlandeses house/italo-disco/breakbeat Andy Ferguson e Matt McBriar, começou pela curadoria musical no blogue ‘Feel My Bicep’. Seguiu-se a fundação de uma editora com o mesmo nome, a entrada no circuito internacional de DJs e a edição de remisturas. Em 2015, lançaram o EP ‘Just’ (2015 Aus Music), eleito Mixmag - Top Tune 2015.
Os Bicep estreiam-se agora com o álbum de originais ‘Bicep’, onde revelam uma sonoridade house/garage/techno, um conjunto de 12 temas ricos e variados para audições domésticas e para as pistas de dança. Uma produção precisa, melodias brilhantes, uso de sintetizadores e batidas devastadoras, concentram energia num dos melhores álbuns de dança do ano.
“Most of all, it’s laser-focused in the pursuit of pleasure, and makes absolute sense as a complete álbum.” 
Mixmag
“Bicep have never been afraid to go for broke, and their debut album is all the better for it.” 
Resident Advisor
‘AURA’
Bicep 

4.9.17

Filme - Estreia a 14 de Setembro no Medeia Monumental
‘DETROIT’ 
de Kathryn Bigelow 
com John Boyega e Anthony Mackie
(2017 Annapurna Pictures) 


No Verão de 1967, Detroit vive os cinco dias de motim racial da 12th Street. Com a cidade sob recolher obrigatório e quando a Michigan National Guard patrulha as ruas, três jovens afro-americano são assassinados no Algiers Motel.
‘Detroit’ é um drama histórico da realizadora norte-americana Kathryn Bigelow, de 65 anos, autora de ‘The Hurt Locker - Estado de Guerra’ (2008) e ‘Zero Dark Thirty - 00:30 Hora Negra’ (2012).
“The film’s struggle against simplification - against the sentimentality, wishful thinking and outright denial that defines most Hollywood considerations of America’s racial past - is palpable, almost heroic, even if it is not always successful.” 
The New York Times
“This is a sombre, grieving movie which appears to gesture to the ghost-town ruin that is still in Detroit’s future.” 
The Guardian
‘DETROIT’
 Kathryn Bigelow 

2.9.17

Teatro - Encenação
‘A VERTIGEM DOS ANIMAIS ANTES DO ABATE’ 
de Dimítris Dimitriádis 
De 13 de Setembro a 28 de Outubro no Teatro da Politécnica
(Artistas Unidos) 


Num ambiente familiar, quase enclausurado, Nilos é atormentado pela sua sexualidade e pelo casamento com Militsa. O casal, os seus filhos e um amigo da família, dão vazão às suas paixões e interdições emocionais, o que os levará à loucura e ao crime.
‘A Vertigem dos Animais antes do Abate’ é uma tragédia do dramaturgo grego Dimítris Dimitriádis, de 73 anos. Encenação de Jorge Silva Melo e representações de João Meireles, Inês Pereira, Américo Silva e Vânia Rodrigues, numa produção dos Artistas Unidos, de Jorge Silva Melo.
“Tudo cai, tudo está a ruir, a morte anda por aí neste texto seminal de um grande poeta de Salónica. Paradoxal, vertiginoso.” 
Artistas Unidos
Bilhetes por 6 euros para terças às 19h00 (Dia do Espectador). Instalação de artes plásticas/pintura 'Labirinto X001' de Xana.
ARTISTAS UNIDOS NO TEATRO DA POLITÉCNICA
‘A Vertigem dos Animais antes do Abate’

30.8.17

Cinema - Filmes clássicos em reposição
YASUJIRO OZU
No Nimas
De 14 a 20 de Setembro no Medeia Espaço Nimas 
(Leopardo Filmes) 


Cinco obras maiores de Yasujiro Ozu vão estar em exibição, em cópias restauradas. A Leopardo Filmes repõe no circuito comercial as obras-primas de um dos mais importantes cineastas de todos os tempos. Os filmes são exemplos do génio de Yasujiro Ozu (1903-1963), e dos temas recorrentes na obra do cineasta, a família, a oposição entre o novo e o velho e o envelhecimento.
A influência de Yasujiro Ozu no cinema oriental é indubitável e muitos cineastas ocidentais tomaram-no como mestre. O mais japonês dos realizadores de cinema destaca-se pelo perfeccionismo e pelo seu estilo de planos de câmara estáticos, a baixa altura e frontal.
Novas versões digitais restauradas. Bilhetes já à venda por 5 euros. 

Sábado, 16 de Setembro às 16h30 e 21h30 
'Tokio Monogatori - Viagem a Tóquio' (1953), de Yasujiro Ozu, com Chishu Ryu e Chieko Higashiyama. 
Um velho casal decide visitar os filhos em Tóquio mas esbarra numa barreira de indiferença. 
Sight & Sound - Greatest Films of All Time 
Cahiers du Cinéma - 100 Films pour une Cinémathèque Idéale
'TOKIO MONOGATORY’
Yasujiro Ozu 

28.8.17

Arte - Exposição Colectiva
‘TURBULÊNCIAS’ 
Obras da Colecção de Arte Contemporânea ‘la Caixa’ 
De 08 de Setembro a 03 de Dezembro no Torreão Nascente da Cordoaria Nacional
(Lisboa, Capital Ibero-americana de Cultura 2017) 


Exposição composta por 40 obras da colecção de arte contemporânea da fundação bancária espanhola ‘la Caixa’, que, nos últimos anos, tem vindo a adquirir obras de vários artistas de diferentes contextos geopolíticos dotados de uma grande capacidade para processar de forma estética a realidade em que vivemos.
Intitulada ‘Turbulências’, a exposição de arte contemporânea destaca a variedade de vozes poéticas e narrativas sobre um mundo que já não se compreende através de pontos de vista únicos ou dominantes. Também se faz eco da sensibilização da arte pela agitação que provocam as contradições da globalização.
Bilhetes por 2 euros.
OBRAS DA COLECÇÃO DE ARTE CONTEMPORÂNEA ‘LA CAIXA’
‘Turbulências’

24.8.17

Cinema - Festival
MOTELx  
Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa  
De 06 a 11 de Setembro no Cinema São Jorge e Teatro Tivoli
(CTLX Cineclube de Terror de Lisboa)  


O MOTELx  revela em Portugal o melhor e mais recente do cinema de terror de todo o mundo, das grandes produções aos independentes, do clássico ao experimental, do culto às novas tendências. Nesta 11.ª edição, a secção Serviço de Quarto volta a ser o eixo do festival com as mais diversas temáticas e sub-géneros como slashers (adolescentes), terror indie, histórias de fantasmas, thrillers psicológicos, comédias e gore (mutilação).
O Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa apresenta três dezenas de longas-metragens, destaca o cinema de terror ibero-americano e promove a secção competitiva Prémio MOTELx Melhor Longa de Terror Europeia. Os convidados especiais são o realizador norte-americano Roger Corman e o realizador e argumentista de banda desenhada chileno Alejandro Jodorowsky.
Movie Maker - The World’s 15 Bloody Best Genre Fests 2017 
Bilhetes à venda no Cinema São Jorge e Fnac por 4 euros.  

SELECÇÃO 
Quinta, 07 de Setembro
00h00 Sala Manoel de Oliveira - ‘Hounds of Love’ (2016 Austrália), de Ben Young, com Emma Booth e Ashleigh Cummings. 
Nos anos 1980, uma jovem é raptada e acorrentada por um casal e para evitar a morte tenta virar os dois um contra o outro. 
Sexta, 08 de Setembro 
21h40 Sala 3 - ‘La Noche del Virgen - The Night of the Virgin’ (2016 Espanha), de Roberto San Sebastián, com Javier Bódalo e Miriam Martín. 
Numa festa de passagem de ano, o jovem Nico quer perder a virgindade. A madura Medea convida-o para casa dela. 
00h00 Sala Manoel de Oliveira - ‘Busanhaeng - Train to Busan’ (2016 Coreia do Sul), de Yeon Sang-ho, com Gong Yoo e Kim Su-an. 
No comboio expresso KTX que liga Seul a Busan, um vírus espalha-se à medida que os infectados atacam outras pessoas. 
Sábado, 09 de Setembro 
19h05 Sala Manoel de Oliveira - ’68 Kill’ (2017 Estados Unidos), de Trent Haaga, com Matthew Gray Gubler e AnnaLynne McCord. 
Uma jovem garante um rendimento extra do seu ‘benfeitor’ até que sugere ao namorado roubarem-no e livrarem-se dele.